Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

29
Mar 07

O célebre jornal norte-americano Washington Post, na sua edição de 18 de Março, dedica algumas páginas ao arquipélago dos Açores.

Quanto ao Pico e às Lajes em particular diz o seguinte:

 

We adored the Aldeia da Fonte (011-351-292 -679-500, http://www.aldeiadafonte.com/; from about $109), a cluster of stone buildings clinging to a Pico cliffside. Our two-room suite had a full kitchen, large sitting area and an ocean view.

WHERE TO EAT: Anything from the sea or a cow is good in the Azores. Order a bottle (or two -- it's cheap) of regional wine with meals; two that came recommended were Terras de Lava (a Pico white) and Basalto (a Pico red).

We stopped at markets for local cheeses, sausages and bread; besides providing picnic fixin's, it was a great way to mingle with Azoreans. All three islands we visited have numerous cafes; Peter Cafe Sport, in Horta's harbor, is famous among yachtsman and has a scrimshaw museum to boot.

Dinners were usually long affairs with multiple courses, including cheeses and bread, seafood entrees such as grilled squid or salted cod and dessert, often a giant slab of pineapple. Our favorites were Hocus Pocus (at Aldeia da Fonte, see above) and its greenhouse-like dining room; (...) Meals with wine were all $50 or less for two, with tip.

WHAT TO DO: Though some activities are shuttered during the off-season, including whale-watching, there's plenty to do. Most islands have numerous gardens, churches, parks and natural wonders worth tracking down.

On Pico, you can check out the history of whaling at an excellent museum (admission about $2.50) in Lajes do Pico.

(ver: http://www.washingtonpost.com )

 

Será que já percebemos que quem nos visita, não mostra a sua carteira profissional nem o seu curriculum vitae, mas constitui um agente fundamental para dar a conhecer a nossa terra? Uma postura diferente no acolhimento e no saber receber é o melhor cartão de visita.

 

http://lajes.blogspot.com

 

publicado por sim às 23:37

O Monte de Santa Catarina é o Miradouro mais próximo das Lajes e da Ribeira do Meio, de onde se disfruta também uma belíssima vista sobre a baía e sobre a Montanha do Pico.

Infelizmente o acesso está interrompido e quem se  atreve a subir ao adro da Ermida corre o risco de cair pela ribanceira abaixo. Trata-se de uma propriedade da Igreja, mas apesar disso, devem as entidades públicas e o proprietário entender-se para que todos, nomeadamente os visitantes, usufruam daquele recinto.

Por outro lado, se nada se fizer para deter a erosão do monte, a própria ermida será abalada também pela trepidação do trânsito.

com imagens em: http://lajes.blogspot.com

ver também: http://lepratecoma.blogspot.com

publicado por sim às 00:17

25
Mar 07

Dois inspectores regionais da administração pública, chegaram este domingo às Lajes. A sua presença nesta vila destina-se a averiguar as alegadas irregularidades relacionadas com a nomeação e assiduidade do Chefe de Gabinete da Presidente da Câmara, processo que já saltou para a discussão pública nos jornais do Pico e mereceu também alguns comentários neste blog.

Espera-se que a situação fique mais clara após o parecer dos referidos técnicos.

com imagem: http://lajes.blogspot.com

publicado por sim às 23:31

22
Mar 07

É cada vez mais difícil estacionar na Vila. Junto ao BCA as viaturas estacionadas em espinha, quando em frente há um recinto camarário ao abandono, quase impedem o trânsito vindo da R.Pe Manuel José Lopes.

No parque (?) de estacionamento da Rua Direita, os acessos pela estrada regional e o mau estado do piso térreo afastam os automobilistas, já tão penalizados pela situação de algumas estradas municipais, onde nem há sinais de trânsito a avisar das irregularidades.  Acresce ainda que o acesso junto à ER, porque mal feito,  já provocou uma derrocada na berma da estrada regional.

A questão não é nova e tarda em melhorar, porque parece haver da parte da autarquia um desinteresse em não resolver o que é minimamente prioritário.Será que há no orçamento corrente, verbas para acorrer a estas situações urgentes? Se apagassem o holofote durante a noite, talvez se poupasse uns tostões para fazerem as reparações necessárias...

ver imagens: http://lajes.blogspot.com

 

publicado por sim às 01:33

18
Mar 07

O ramal de saída da Vila tem o piso degradado, há buracões que estragam as viaturas.

Ainda recentemente ali caíu uma grande ravina (ver foto) e, é evidente, que se não se fizer nada, haverá mais desabamentos de terra.

Noutro local da Vila, junto ao castelo, (ver foto ) onde há dezenas de anos havia um barracão de construção de embarcações, as derrocadas continuam.

Era tempo de se pensar em contruir um paredão que acautelasse aquela zona e a própria estrada regional na curva junto ao castelo. 

imagens em: http://lajes.blogspot.com

publicado por sim às 12:06

16
Mar 07

Os horários dos ferries para este ano, penalizam a ilha do Pico e não respondem ao grande movimento de passageiros que aflui ao CaisAgosto. Há horários especiais para o Santo Cristo, Sanjoaninas, 15 de Agosto e Maré de Agosto, mas esquece-se (ou desconhece-se?)o tráfego de passageiros, mormente jovens, para o CaisAgosto e a Semana do Mar, vindos de São miguel e de todas as ilhas do Grupo Central. Será importante que tanto as Câmaras, como outras associações e representantes dos utentes se pronunciem, antes que seja tarde. Por que não se estudou o "histórico" do movimento de passageiros dos últimos anos, onde se pode constatar quais os destinos mais procurados e movimentados e se insiste em cometer erros do passado? E não digo mais nada porque aguardo que quem de direito analise os horários e se pronuncie...

com imagem: http://lajes.blogspot.com

publicado por sim às 19:54

14
Mar 07

Está prestes a iniciar-se a primavera e com ela as águas açorianas, nomeadamente as da costa sul da ilha do Pico, recomeçam a ser sulcadas para a observação de cetáceos.

As empresas locais preparam-se para levar os visitantes nas suas embarcações, acompanhando-os das indispensáveis informações sobre o comportamento dos cetáceos e a sua incidência na vida das nossas gentes. Mas será que temos feito o suficiente? Será que as entidades públicas e privadas têm dotado a actividade de melhores instalações e dos meios informativos adequados a esta crescente e cada vez mais concorrencial actividade de whale-watching?

Não são esta actividade económica, juntamente com o Museu dos Baleeiros, os principais motivos de atracção das Lajes?

Seria bom que não desbaratássemos esta "galinha dos ovos de ouro". Para isso importa que  os lajenses: empresários de hotelaria, restauração e comerciantes, Câmara Municipal e juntamente com a Direcção Regional de Turismo, estabeleçam uma plataforma de acção conjunta que beneficiará todos - entidades públicas e privadas - pois quantos mais visitantes aqui vierem, mais dinheiro por cá fica e mais impostos serão arrecadados.

Se ficarmos de braços cruzados à espera que outros façam ou decidam por nós, perderemos o combóio do futuro e outros tomarão o nosso lugar e ocuparão o espaço comercial, onde fomos pioneiros nos Açores.

 com imagem: http://lajes.blogspot.com

publicado por sim às 13:22

09
Mar 07

Entendeu o Eng.Cláudio Lopes, ex-presidente da Câmara, apresentar n'O DEVER a sua versão sobre as obras do saneamento básico da Vila e de fazê-lo em várias edições. Não contesto(porque desconheço o processo) as suas explicações sobre a demora da construção do campo de futebol. Não alinho em lutas político-partidárias como a que ele desenvolve no referido artigo, embora entenda que cabe aos cidadãos e às forças políticas desenvolver o combate pró ou contra o poder democrático, mesmo após os actos eleitorais.

Pretendo, num direito de cidadania, que em próximo artigo, CL explique por que optou por calcetar o piso e os passeios entre os Largos E.M.Ávila e o de São Pedro, quando antes eram de asfalto e de cimento. Sucedeu, porém, - e isso foi denunciado de imediato, mas fez-se ouvidos de mercador - que a irregularidade dos pisos têm provocado quedas de consequências dolorosas sobretudo aos idosos e, além disso, também aumentou, manifestamente, o ruído à passagem dos veículos.

Que tem a classificação de "Vila-património" a ver com pisos (mal) calcetados? Há sítios no estrangeiro, onde há ruas fechadas ao trânsito com BONS pisos de terra e não vem mal nenhum ao mundo por isso.

A substituição de grande parte das pedras da rampa da Lagoa de Cima, por cimento - também essa património baleeiro- foi efectuada de ânimo leve pela Câmara até que alguém protestou, e bem! mas o disparate da "mentalidade do cimento" lá está a testemunhar que há que pensar duas vezes antes de fazer o que quer que seja. O mesmo se diga com outras obras na orla marítima das Lajes, desde o portinho à Maré, para já não falar das inacabadas caldeiras do Caneiro.

Há erros que merecem um "mea culpa". Afinal, os tolos e os que nada fazem é que não erram e os auto-convencidos é que têm sempre razão...

com imagens em: http://lajes.blogspot.com

 

publicado por sim às 18:01

Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
17

19
20
21
23
24

26
27
28
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
eXTReMe Tracker
pesquisar
 
blogs SAPO