Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

10
Jul 08

Já vai sendo normal a imagem degradada do edifício da Igreja Matriz.

Quem por ali passa, não deixa de interrogar-se:- O que se espera para, pelo menos lavar a cara do imóvel, enquanto não se procede às anunciadas obras de reconstrução, cujo início e projecto a população desconhece?

Em tempos idos, O DEVER abriu uma subscrição para angariação de fundos.

Não se sabe quanto se arrecadou. Também não foi dada explicação sobre o início dos trabalhos.

Que há necessidade de se fazer alguma coisa, ninguém o contesta. Mas, como em tudo, é preciso explicar à população o que se pretende fazer e em que pé estão os projectos e apoios. Só assim haverá a correspondência dos fiéis e lajenses.

Como em 1954, quando uma Comissão ombreou a angariação de materiais: pedra, cimento e madeiras e encetou a recolha de fundos para a conclusão das obras da Matriz, importa que agora, se proceda de igual forma para envolver todos. 

A Matriz é o rosto da nossa Fé.

Precisamos de todos!

Mãos à obra!  

(Propositadamente,não publicamos imagem do edifício da Matriz!)

publicado por sim às 15:32

Sim precisamos de quem trabalhe não de "moscas de verão" que de fora querem dar palpites,.
bocasanta a 10 de Julho de 2008 às 17:05

O bocasanta esquece-se que as moscas de verão aparecem no templo e dão algo do que têm, enquanto que muitas bocas apenas servem para falar, falar, e ajudar nada.
A Fé vive-se, e não vale apena esses comentarios pouco sérios de uma boca que tem a ousadia de se qualificar de santa.
Anónimo a 11 de Julho de 2008 às 22:17

Concordo com a questão do "aspecto pouco airoso" da igreja-Matriz das Lajes mas, o considerando final é algo vago. A subscrição pública que se desenrolou al longo dos últimos meses (mais de ano) recolheu alguns fundos, foi indicado inclusivamente nalguns períodos o seu saldo e concerteza terá "desaparecido", também temporariamente, das paginas do jornal por falta de espaço ou de enquadramento na paginação, mas verdade mesmo, não vi grande afluência de donativos - ressalvando muitos anónimos - de tantos e tantos que opinam por aí mas que não "entram" com a sua contribuição. Quanto ao resto, era tempo de se dar uma explicação que não eu. Sei no entanto que não se sabe ainda quando e que tipo de obras serão realizadas com ajudas governativas, nem mesmo se entrarão nesta fase da "reconstrução".
Rui Pedro Ávila a 10 de Julho de 2008 às 19:30

Sem duvida que a nossa Matriz está carecida de beneficiações.
Este blog é um alerta.
Não seria interessante o seu autor. tambem, fazer a sua doação?
É que apelar à fé quem a abandodou não será um de hipocresia?
Nestes novos tempos tudo se faz ao sabor da consciencia de cada um.
A mensagem de há dois mil anos, hoje navega ao sabor da conveniencia de cada um.Ou não será?
sim a 10 de Julho de 2008 às 23:08

A mensagem é para ser recebida e colocada em prática. Falar por falar dizendo que este fez isto e aquele fez aquilo é muito comum entre os mortais. Mas a fé sem obras é morta. A Igreja é o símbolo da freguesia. Por isso é que as suas torres altaneiras se distinguem à distância em sinal de poder. Quanto ao poder religioso, apesar de uma centena de fiéis irem à missa todos os Domingos, um terço dos residentes nesta Fajâ, - como lhe chamava o Dr. Francisco Carmo de saudosa memória e ,não o sito por despeito, mas porque ele à distância que proferiu tal afirmação antevia já o que hoje está a acontecer. A saída das pessoas para outros locais e por isso falta gente para ombrear com certas responsabilidades. No entanto também se nota uma certa ditadura interna, para controlar o templo ou os templos religiosos de que a Vila dispõe. Sabemos que um pároco residente para a Vila das Lajes era uma mais valia, mas com moradia fixa em Santa Cruz das Ribeiras, esqueçam. Hoje há falta de padres e há falta também de boas vontades. Vemos a enfeitar a igreja pessoas já duma certa idade...onde estão os jovens e as jovens? Viraram-se para outro lado? É pena. Por um lado as pessoas vão ao encontro de valores, um tanto ou quanto dúbios e por outro, os católicos, porque também aqueles que abandonaram o redil, também o eram, não foram no tempo certo solicitados para fazerem parte dos organismos paroquiais. Foi pena. Agora é ver o que se passa e levar as mãos à cabeça e enfiar a cabeça na areia já não leva a nada. Há 46 anos havia gente resoponsável e dinâmica nas Lajes, hoje há gente apática e mesmo aqueles que querem colaborar, são «afugentados». Assim não vamos a lado nenhum. É clamar no deserto...
Anónimo a 14 de Julho de 2008 às 19:20

As Terras em festa.
http://www.ustream.tv/channel/festas-lajes-do-pico
Gente honesta, trabalhadora e genuína.
Gente que honra a sua terra e as suas tradições.
Desejos de felicidades, saúde e longevidade ao mordomo e à sua familia.
MRodrigues a 12 de Julho de 2008 às 21:34

A Matriz, para além do natural valor simbólico que representa para as últimas gerações, não passa de uma obra desproporcionada desenhada por um leigo em arquitectura; um padre megalómano sonhador. E sobre esta, como muito bem dizia Raul Brandão: “Os sonhos não cabem no mundo”.

Como muitas das igrejas do Pico (veja-se a aberração de S.ta Bárbara), trata-se de um templo desproporcionado. Um neogótico de sétima categoria, sem grande valor conceptual ou patrimonial. Mas temos que levar com ele – e por isso, recupere-se e dignifique-se. Mas desta vez, sem megalomanias…
Anónimo a 14 de Julho de 2008 às 16:20

Eu fui batizada, fiz a minha 1ªcomunhão, Crisma e Matrimónio na Igreja de Santa Bárbara, além disso fui catequista pertenci ao gupo de jovens e quando vivia na paróquia pertencia ao grupo de leitores.
A Igreja de Santa Bárbara é um templo moderno, amplo e funcional, e ao longo dos anos as pessoas da paróquia tem melhorado e investido na sua aparencia e funcionalidade.
Chamar este templo de aberração é no minimo patético. Foi construida com linhas modernas para a altura e reflecte a arquitectura da época em que foi construida.
Que eu saiba e pelas vezes que lá fui à missa, a Igreja estava sempre bem composta a nivel de fieis presentes para a missa dominical e em tempo de festa está sempre cheia.
Além disso os vitrais na capela-mor, colocados há poucos anos são lindos e com muito significado religioso, e pelo que sei existiam planos para no futuro colocar vitrais nas capelas laterais. Um templo é o reflexo dos fieis e do pastor que os conduz e deve estar sempre em evolução e aprefeiçoamento.
Cada paróquia tem uma comissão encarregue da manutenção dos templos pertencentes a essa paróquia e é essa comissão que deve trabalhar com o pároco e tomar a iniciativa para a angariação de fundos com vista à manutenção desses templos. Não é da competência da Camara Municipal ou da Junta de Freguesia fazer esses trabalhos, no máximo estas instituições puderam auxiliar, mas não é da sua responsabilidade logo não tem culpa pelo estado lastimoso da Matriz.
Unam-se os fieis dessa paróquia como o fazem todos os outros nas pequenas freguesias, tenham iniciativas, organizem jantares, aproveitem as festas da paróquia e parem de cramar como se fossem inválidos à espera que os outros façam.
Olhem para o que outras paróquias fazem, e aprendam como se faz, olhem para S. João ou para as Terras, é preciso trabalho, dedicação e força de vontade.
Não é com peditórios no jornal que se motivam as pessoas a participar na restauração dum templo.
Um templo é o reflexo dos fieís que o frequentam e basta olhar para o interior despido e cheio de teias de aranha e morcegos, e para o exterior, meio pintado meio deslavado com a tinta a cair e as teias de aranha nas janelas da Matriz das Lajes , para ver como são os fiéis que frequentam esse templo.
MRodrigues a 16 de Julho de 2008 às 19:43

A concepção do risco da Matriz, foi feita por um Padre Lajense que tinha a ideia de que as Lajes seria um lugar desenvolvido e que não estagnaria como aconteceu. O seu desenho foi feito no século XIX. Hoje outro desenho seria feito talvez, como a aberração da Ermida da Almagreira que até foi premiado... Hoje qulquer indivíduo que tem o canudo de arquitecto é considerado uma sumidade e pode fazer o que bem quer que ninguém vai contra, porque é o Sr. Arquitecto a quem todos devemos fazer uma reverência. Eu recuso-me, porque também tenho olhos na cara e sei apreciar o que é bem feito e depreciar o que é mal feito. Hoje os projectos não são megalómanos... hoje o que os projectos são é sonhadores e principescamente bem pagos, veja-se a escultura que custopu metade da obra que foi feita na Casa da Montanha. Mas era o Sr. Arquitecto tal e tal e nada se pode dizer, porque eles sim, eles são os menos megalómanos em questão de arquitectura. Opiniões qualquer um pode dar. Deixei a minha e contra isso...batatas!
Anónimo a 17 de Julho de 2008 às 17:43

A sua opinião é de uma buçalidade batata com grelo
Anónimo a 21 de Julho de 2008 às 16:41

Sinceramente.
Em vez de se respeitarem aqueles que foram Homens com letra grande, têm-se a ousadia de degrenir a sua imagem esquecendo a época em que tudo foi concebido e realizado.
Desculpem-me mas apenas me apetece dizer-lhes que não passam de uns pobres de espirito.
Sabem criticar, mas nada de util fazem.
anonimo a 19 de Julho de 2008 às 16:27

Vamos lá a ter em atenção uma coisa. Desde a muito que conheço essa terra e que me lembre sempre vi os mesmos trabalhar. De facto como se pode constatar pelos blogs agora, desde algum tempo pelo jornal, Dever etc ... ali para as bandas da pesqueira para falar e opinar temos gente nessa santa terrinha. Para trabalhar nem velos nem o binóculo mais potente lhe põe a vista em cima, Pensem os Lajenses que isso e seu é de todos, vejam que elegem, e sejam unidos acima de tudo trabalhem esfocem-se e não esperem que 2 ou 3 dêem a cara. No que se refere a Matriz pude constatar e posso testemunhar que os que trabalham desde a muito são sempre os mesmo sendo que o Senhor já chamou algunsi.
Certo é que os que tão no poleiro não aceitam que qualquer um se chegue porque sentem logo ameaça na sei de que. Poderiam trabalhar mais e mais sempre mais e em conjunto tudo pelo bem da sua terrinha que daqui a nada esta reduzida a nada .... Por favor abram os olhos e arregassem as mangas e lembem-se de preservar o que os antigos deixaram com maior sacrifício do que o que e necessário hj . Estou cansado de ouvir só o negativo quando e que se fala positivo dessa terra . ..... bolas
golf a 15 de Julho de 2008 às 14:35

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
25
26

27
28
29
30
31


eXTReMe Tracker
pesquisar
 
blogs SAPO