Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

09
Set 11

Foi-se a festa, Setembro chegou e as escolas estão prestes a abrir.

Mesmo assim, ainda há muito movimento por aí, os veraneantes continuam e, mais tartde partirão para os seus locais de residência.

As Lajes viveu este ano, com uma intensidade diferente, as Festas Maiores, sobre as quais se deve refletir para que no próximo ano, se tire partido da quadra festiva.

No meu entender, as festas tiveram um programa demasiado intenso o que fez com que alguns eventos se sobrepusessem a outros não menos interessantes.

Com menos espetáculos musicais que atiram para altas horas os últimos do dia, mais gente usufrui deles. Não nos esqueçamos que muita gente trabalha e tem de se levantar cedo para as labutas diárias.

Festival do queijo

Por outro lado, o Festival do Queijo é um evento que vale por si só. Basta que seja programado para entre meados e fins de julho e que se lhe associe, por exemplo uma componente gastronómica de restauração e uma componente educativa (ciclo de conferências, work-shops ou seminário em que participem outras regiões com queijo típico, com denominação de origem, seja do continente ou dos Açores.

Nas Lajes, claro, onde o queijo do Pico recebe o melhor leite da ilha e por isso tem maios fama. Nas Lajes, claro, onde existem as maiores pastagens e os maiores produtores.

Nas Lajes, claro, e só aqui, onde existe alguma experiência nestes eventos.

 

A Semana dos baleeiros, para ser apelativa, não necessita de outros atrativos que não sejam os que dizem respeito à história, à cultura e à memória da baleação.

E neste aspeto, há muito a fazer. Temos de ser ainda mais criativos e inventivos, não fazendo o que os outros fazem, mas programando eventos que despertam, sempre grande interesse junto dos residentes e visitantes, como por exemplo a representação ao vivo de uma arriada à baleia. associada ao viver dos anos 50 e 60; repartir as regatas de botes pela semana, só para as embarcações lajenses, promovendo, para o efeito, uma competição para os vencedores locais: melhores remadores (m/f) melhores oficiais (M/F); recuperar jogos tradicionais alusivos à caça à baleia e outros (Ex. bilros); promover um concurso de pintura e desenho mural sobre a história da baleação, divulgando a iniciativa através da net e junto dos iatistas que escalam as Lajes; reformular o cortejo etnográfico atribuindo a cada freguesia um prémio pecuniário que lhe permita, com vários carros e figurantes, desenvolver um tema sobre a baleação....etc.

Outras ideias são benvindas, nos comentários, para renovar a Semana dos baleeiros.

Para tudo isto, cabe à Escola das Lajes um contributo muito importante que pode ser desenvolvido durante o ano letivo pois professores e alunos são um manancial de criatividade e empreendedorismo.

É por isso que lançamos agora este tema.

Venham daí mais sugestões.

publicado por sim às 17:32

Ahhh as Lajes do Pico...

Sou nascido e criado no Continente, mas nunca tão bem recebido cá, como nas Lajes!
Sou estudante de medicina e fui, a propósito de um estágio de férias ao vosso Centro de Saúde com o Dr. Luís Gonzaga que teve o cuidado de me fazer uma visita pelas tradições e por aquela que foi a vida dura e nem sempre reconhecida dos baleeiros.
Inesquecível também, é a "Pastelaria Aromas e Sabores"...deviam ter um site e exportar esses magníficos caramelos e biscoitos!

Tenho muitas saudades das pessoas, da vila, da ilha, da gastronomia e até mesmo do cheiro a mar pela manhã...

Um abraço a todos!
Nuno Lopes
Nuno a 20 de Setembro de 2011 às 18:48

Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


eXTReMe Tracker
pesquisar
 
blogs SAPO