Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

05
Abr 06

No sentido de informar os leitores, alguns dos quais não têm acesso à legislação, publicamos as remunerações e abonos dos eleitos locais do nosso concelho (menos de 5 mil eleitores):

                      Vencimentos/mês     Desp.Repres.

Pres. Câmara - 2.862,00 euros   +   858,90    = 3.720,90

Veread.T/Int.    2.290,40            +    458,08    = 2.748,48

Chefe Gabinete - 2.061,36

Adjunto(a)              1.832,32

Secretário(a)           1.374,24         

Sabendo-se que a CMLP tem dois vereadores a tempo inteiro, a despesa total com eleitos e "staff" do gabinete é de cerca de 16.500 euros (3.300 contos x 14= 46.200 c.).

Estes vencimentos representam  40% do vencimento do Pres. da República - 7.155,44 euros.

Pres.Jun.Freg T/Int. 1.144,87  Desp.Rep. 343,46=1.488,33

Senha presença vereador/membro A.M.:    57,26 euros

"               "         Pres.A.M.: 85,89

"               "          Sec.A.M.   71,58 

publicado por sim às 01:20

Muito obrigada pela informação... Não sei bem qual intuito da mesmas, mas mostra alguma disponibilidade de tempo da sua parte.
O que aconteceu ao convento? ficou mudo de vez???
comum mortal a 5 de Abril de 2006 às 13:20

Com comentários como este também revela alguma disponibilidade de tempo.
Considero muito importante dar a conhecer aos administrados o que os seus administradores recebem. A responsabilidade dos Governantes também se deve medir pelo rendimento auferido.
Carla Silva a 5 de Abril de 2006 às 14:27

Informações desta natureza são sempre úteis e obrigatórias para quem, como nós, cidadãos comuns e contribuintes que pagam os seus impostos sem hipótese de fuga ao fisco, que somos a grande maioria do povo português, aquela maioria que ganha tão mal tão mal que, chegando à idade da reforma, ao fim de longos anos de trabalho, não conseguiu poupar, apesar do esforço, o equivalente ao que ganha um Presidente de Câmara das Lajes num só mês!!.
Se cada presidente ganhasse por aquilo que faz, pela maneira (arte) de como gere os dinheiritos públicos, sem grandes saltos malabarísticos e perigosos ... o que mais haviam eram presidentes de câmaras e de juntas tão pobres, tão pobres, que seria necessário pagar-lhes o " Rendimento Mínimo Obrigatório".

O que aconteceu ao convento? Deve ter ardido com as freiras todas lá dentro. Ou então as freiras é que arderam por auto-combustão! Será que conseguiram arranjar capelão? E em caso afirmativo, terá este escapado para continuar a obra ou foi pregar para outra freguesia?

Lembra-me a sarita que também morreu de "maradez"... Paz à sua alma!

Vejam lá vocês, deste blog, não se finem também. É que isto começa a ser o "pão do povo" e o vício dos pobres - que agora acham que têm um lugar onde se sentem igual aos outros, onde não são discriminados, onde podem usar o seu direito de se expressarem livremente, como munícipes, como cidadãos e contribuintes, dando a conhecer o que sentem, criticando o que está mal e apoiando o que está bem!! E, alguns, até apresentam ideias e alternativas, o que é óptimo.

" Da discussão nasce a luz "
(EDA) :-) :-)
Lua Cheia a 5 de Abril de 2006 às 17:26

Correcção:
Onde se lê " ...acham que têm um lugar onde se sentem igual aos outros"... deverá ler-se " ...acham que têm um lugar onde se sentem iguais aos outros".
lua cheia a 5 de Abril de 2006 às 17:57

Também acho que é preciso revelar quanto ganham os nossos autarcas para que eles percebam que têm de corresponder à função para que foram eleitos pelo povo. Quem cultiva o sigilo e o segredo sobre os vencimentos dos políticos? Só os que têm consciência de que ganham mais do que merecem. Então, toca a abrir o livro e a chamar as coisas pelos seus nomes. Doa a quem doer.
castelete a 5 de Abril de 2006 às 18:02

Já agora que tal uma listagem dos valores que recebem os nossos antigos deputados por se terem reformado? É que isso também continua a sair dos bolsos dos contribuintes.
tempestade a 5 de Abril de 2006 às 14:52

Novemente a publicar em duplicado. Será que o que diz é assim tão importante para ser dito duas vezes???
Carla Silva a 5 de Abril de 2006 às 14:59

D. Carla Silva,

Está a falar com quem? E o que é que está em duplicado que eu não vi?
Curioso a 6 de Abril de 2006 às 12:49

O comentário anterior estava em duplicado
pisca a 6 de Abril de 2006 às 14:22

Os vencimentos expostos são muito relativos. A responsabilidade dos autarcas é imensa e a disponibilidade pessoal que lhes é exigida é tanta que, de facto, aqueles valores nem são nada do outro mundo.

No caso da Câmara das Lajes, outras questões se colocam. Até que ponto é possível o “nosso” chefe de gabinete auferir um ordenado sabendo-se que a maior parte do tempo não reside nesta terra nem por esta nutre muita estima? Já para não falar das inúmeras viagens que faz pagas pelo município, das refeições, dos táxis e, por certo, das chorudas comissões que ganha com as prestações que tem vindo a importar de Évora.

A questão legal parece assim ultrapassada quando as mais elementares posturas éticas se colocam...É um caso político, sem dúvida. Será algum dia um caso de policia???
Espalamaca a 5 de Abril de 2006 às 19:27

Foi hoje publicado o seguinte em jornal oficial da presidencia do governo regional dos açores:

Para os devidos efeitos torno público que por meu despacho exarado em 20 de Janeiro de 2006, nomeei para exercer as funções de Chefe do meu Gabinete de Apoio Pessoal, com efeitos à data do despacho, tendo em conta o disposto na aplicação conjugada dos artigos 73.º, n.º 1, alínea c) e 74.º, n.º 3 da Lei n.º 169/99, de 18 de Setembro, alterada pela Lei n.º 5-A/2002, de 11 de Janeiro, Carlos Alberto Geraldes Machado.
Nos termos e para os efeitos do disposto nas alíneas a) e b) do n.º 2 do artigo 3.º do Decreto-Lei n.º 196/93, de 27 de Maio, fica concomitantemente autorizado o exercício eventual de actividades docentes em Instituição de Ensino Superior, nos termos da legislação em vigor, e bem assim, as actividades profissionais eventualmente prestadas pelo designado, sem carácter de permanência, a entes não pertencentes à Administração Pública Local Autárquica.
6 de Março de 2006. - A Presidente da Câmara, Sara Maria Alves da Rosa Santos.
anónimo a 5 de Abril de 2006 às 22:51

Mas este despacho é um escândalo e, como tal, não pode ficar impune.
Qual dos eleitos locais, tem coragem para confrontar a Presidente da Câmara com as permissões do exercício e outras funções, mesmo docentes, que todos sabem prejudicam o exercício do cargo para que foi escolhido?
Não acredito que queiramos aceitar, de ânimo leve, estes despachos, cuja legalidade é, segundo o senso comum, muito duvidosa. A quem estamos entregues!!!
bambaixemuro a 6 de Abril de 2006 às 00:10

Disse bem, senso comum.
Acima do senso comum há a lei que foi feita pelos nossos dignos representantes - Deputados - Ministros - etc.
Não se esqueça que a Lei feita por eles é feita com uma visão no seu futuro, isto é, "quando sair de cá, quanto fico a ganhar, posso aposentar-me? etc, etc."
O farelo cai nos olhos de quem serra por baixo
Anónimo a 6 de Abril de 2006 às 00:20

Prontos.

Se foi públicado em Diário do Governo não se deverá falar mais no assunto. Ao abrigo da alínea d) do artigo 4º, incluida no articulado que à semelhança do Dec. Lei234/2006 revoga a alíne f) do Decreto anterior. Está despachado.

Despache-se também a besta!
Nos termos do post anterior ao abrigo da a 5 de Abril de 2006 às 23:58

Realmente estes aposentados, doentes só por motivo de aposentação, têm muito tempo disponível.Os salários são publicados anualmente do DR e JO e ninguém ganha mais do que está lá publicado.
E se em vez de fazerem um blog, fossem prestar serviço cívico, olha, talvez lhe fizesse bem á "linha" e a comunidade ficava servida
Anónimo a 6 de Abril de 2006 às 00:13

Acho que a comunidade está muito bem servida com este blog! Fazem falta coisas destas, mesmo que sob anonimato (nada obriga que assim não o seja), pois de outra forma continuaríamos na senda do "pobretes e ignorantes", desconhecendo por completo de como e por quem somos governados, bem como da aplicação dos dinheiros públicos (nossos impostos, que são bastantes)!

E como sabe que o responsável deste sítio precisa de cuidados com a aparência, mais propriamente com a linha? Não passa de suposição sua. Para cada um de nós o dono disto tem o rosto e a estatura que a gente quer. Para mim até é elegante apesar de já não ser jovem... e culto também (e tem muita sabedoria, daquela que nos é dada pelos anos...) .

Este blog que continue o seu trabalho, pois já foi acolhido e bem pela maioria do nosso povo - que se revê nele, que lhe dá a hipótese de participar com a sua opinião (e todas são válidas) sobre os mandos e desmandos com que diariamente é agredido e, até para a malta nova, essa juventude dos nossos dias, que detesta ler em papel, mas tem outra receptividade para coisas on-line. Sei de muitos que aqui acedem, sendo esta uma boa oportunidade para que, também eles, se mantenham minimamente informados e participativos. É uma boa forma de se acostumarem à notícia já que muitos fogem a sete pés dos telejornais (se calhar com razão...).

E trabalho cívico também é isto: tirar o povo da ignorância e dar-lhes as mesmas oportunidades de opinião. Porque a opinião de um doutor não é mais válida do que a de um trabalhador do campo, por exemplo.

Se se sente tão incomodado(a) com o que aqui lê, escolha outro blog pois a blogosfera é um mundo imenso. E até há blogs para intelectuais... como o do PP (já para mim a criatura é uma seca).

Boa noite, sonhos cor-de-rosa...
Blogoólico a 7 de Abril de 2006 às 03:37

Anónimo das 00.13h,

Forte tolo, quer melhor serviço cívico que este blog?
Anónimofilo a 6 de Abril de 2006 às 09:44

É bom que se saibam as verdades, mas é triste quando aqueles que passaram anos a aquecer com o seu traseiro uma cadeira que permitia lutar por mais e melhor para o Pico venham depois de "aposentados" falar a torto e a direito, como se não tivessem tido na mão o "poder de alterar as situações"... É triste, é...
Cotovia a 6 de Abril de 2006 às 20:27

Não vou comentar o seu artigo, quero apenas perguntar se por acaso tomou conhecimento que a Vila das Lajes foi a única que por falta de espaço disponível não conseguiu fazer o rasteio gratuito à visão. Tanto a Madalena, como São Roque disponibilizaram espaço para o efeito, as Lajes ficou mais uma vez de fora. Será que este assunto não é interessante para debater? Será que nas Lajes não há necessidade de um rasteio gratuito à visão? Será que as Lajes do Pico, o Concelho mais antigo do Pico, não tem nenhuma sala livre para o efeito? Penso meu caro articulista que este é um assunto importante para a vida das pessoas, se calhar com interesse para o seu blog, ou será que estou enganada?
Teresa Proença a 6 de Abril de 2006 às 20:38

Falta de espaço? Quem disse ou a quem foi pedido e negou espaço para o rastreio? Nem o centro de saúde o disponibilizou? Noutros lados o rastreio até se faz numa tenda (não de campismo,claro!)...
Mas como o rastreio pode sempre fazer-se espero que alguém abrirá uma porta: a biblioteca municipal infantil, o novo edifício do jardim infantil, os baixos da Câmara, o salão da Filarmónica, da Ribeira do Meio... espaço não falta! Será que o assunto foi bem dirigido? Não acredito que as citadas instituições tenham fechado as portas!...E não me venham sempre com os exemplos da Madalena e de S.Roque... confrontemos responsáveis por instituições e não comparemos o povo em geral. Tá?
visionário a 6 de Abril de 2006 às 22:48

Peço desculpa pelo erro não é rasteio é rastreio como muito bem foi escrito no comentário seguinte. Quanto ao assunto em questão tanto quanto sei foram solicitados alguns espaços e foram negados. Nunca diria mal do povo das Lajes, aqui habito, penso é que temos o mesmo direito que os outros. Concordo consigo espaços não faltam, falta às vezes é uma dose de boa vontade.

Dona Teresa,

Pelo que sei e me foi dito pelos senhores oftalmologistas de fora que vieram ao Pico fazer o dito rastreio da visão, para quem quisesse e gratuitamente (também eu aproveitei a borla para o fazer em S. Roque), como vieram condicionados pelo tempo (nº de dias), não houve qualquer intenção para que o rastreio fosse feito, desta vez, nas Lajes, ficando esta agendada para a próxima vinda a esta ilha, sensivelmente daqui a um mês. Mas já lhes tinha sido facultada informação bastante de prováveis locais e pessoas a contactar, sendo o Sr. Flamínio, presidente da Filarmónica, um deles.
Ontem, dia 6, foi o último dia em que estiveram em S. Roque, embarcando para S. Miguel hoje - 7 Abril.

Não querendo contrariá-la nas suas afirmações, pergunto-lhe apenas se se informou convenientemente antes de ter feito o seu comentário.

7.ABRIL.2006 01:57 AM

Cega mas não surda a 7 de Abril de 2006 às 02:57

Exma Srª "Cega, mas não surda", não vou discutir consigo, pois o que escrevi foi o que me disseram como sendo a verdade. Mas de uma coisa tenho a certeza absoluta ainda vão haver consultas , hoje, dia 7, em S. Roque do Pico.

Dona Teresa Proença,

Ok. Quer continuar nessa teimosia, pois fique lá com a bicicleta! Esta discussão nem merece continuação, pois não é o facto de hoje ainda haver atendimento que faz a diferença entre aquilo que você disse e a realidade.
E confirmo que os senhores doutores partem hoje para S. Miguel, às 15:30, ok?

Aproveite e resolva esse problema de "vista distorcida"...
Cega mas não surda a 7 de Abril de 2006 às 10:56

Só uma pequena emenda... O Sr. Flamínio não é presidente de nada. O Presidente da Filarmónica das Lajes é o Sr. João Duarte..
comum mortal a 7 de Abril de 2006 às 13:24

Então parabéns ao Sr. João Duarte. Simpático e incansável como é, tenho a certeza de que dará muito bem conta do recado. Mas ignorava completamente essa novidade...

Ao Sr. Flamínio e restantes membros da ex-direcção o adeus e o muito obrigada por todo o tempo e trabalho dispendidos na direcção da nossa Sociedade Filarmónica!
Cega mas não surda a 9 de Abril de 2006 às 03:37

Estou deliciada com o que leio neste blog. E delicio-me sobretudo com os comentários aos posts do Sr. picaroto que desde já saúdo e parabenizo por ter conseguido despertar nos leitores a vontade de falar, de criticar, de dar a sua opinião. Assiste-se a um fenómeno semelhante ao da abertura de uma garrafa de champanhe… "puummm". A rolha saiu e com ela soltou-se tanta coisa que as pessoas guardavam, e não tinham coragem para pôr para fora.
O facto de se falar em anonimato pode explicar este fenómeno. Mas não se deixem ficar no anonimato, participem democraticamente no processo de tomada das decisões no vosso/ nosso Conselho. Não entreguem de bandeja o poder de decidir aos outros. Porquê Assembleias Municipais e Assembleias de Freguesia vazias? Estes espaços existem, são conquistas da Democracia e visam dar voz a todos e permitir que todos, sem excepção decidam o futuro da sua rua, da sua freguesia, do seu país.
Não esqueçam nunca que através do voto os cidadãos partilham um poder que é seu com alguém que julgam indicado para os representar. O poder é dos cidadãos não dos seus representantes. A eleição de alguém tem implícita a celebração de um contrato entre eleitores e eleitos, com direitos e obrigações de ambas as partes que não devem ser esquecidas. Não esqueçamos os nossos direitos nem as nossas obrigações, não esqueçamos que é nossa obrigação participar e exigir o cumprimento dos termos desse contrato e os termos desse contrato passam, por exemplo, pelo cumprimento do programa eleitoral apresentado por cada candidato.
Este mês a nossa constituição comemora 30 anos. É um documento que vem plasmar inúmeras conquistas da Democracia e da Revolução de Abril e que assenta, nomeadamente, no Direito de Participação, no Direito de Livre Expressão de cada cidadão.
Vamo-nos deixar de cafés e vamos todos intervir nos locais que nos são destinados. Vamos ter coragem e sair do anonimato!
Carla Silva a 7 de Abril de 2006 às 13:02

Como não posso alterar o comentário publicado, faço desde já uma errata: onde se lê "Conselho", deve ler-se, naturalmente, "Concelho".
Carla Silva a 7 de Abril de 2006 às 13:09

Abril 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
14

16
17
19
21
22

23
24
26
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar
 
blogs SAPO