Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

08
Abr 06

Ver http://lajes.blogspot.com

Acordei cedo, liguei a Rádio Montanha e, uma vez mais, ouvi a programação da  RFM. Não é que não goste da emissora de Lisboa, mas prefiro um programa feito nas Lajes, com gente de cá, falando das nossas coisas. Há algum tempo que assim é.

Algo se passa para a nossa rádio não cumprir com o estipulado na lei ? Esta  obriga no art.º 39º. o seguinte:

2 - Os serviços de programas (...)devem, recorrendo a produção própria, difundir um mínimo de três serviços noticiosos respeitantes à sua área geográfica, obrigatoriamente transmitidos entre as 7 e as 24 horas, mediando entre eles um período de tempo não inferior a três horas.

E sobre a programação a lei obriga também:

1 - Os serviços de programas de cobertura local devem transmitir um mínimo de oito horas de programação própria, a emitir entre as 7 e as 24 horas, salvo o disposto no artigo 30.º
2 - Durante o tempo de programação própria, os serviços de programas devem indicar a sua denominação, a frequência da emissão, quando exista, bem como a localidade de onde emitem, a intervalos não superiores a uma hora.

O legislador para acautelar a independência desses MCS foi ao ponto de restringir os apoios de diversas entidades:

A actividade de radiodifusão não pode ser exercida ou financiada por partidos ou associações políticas, autarquias locais, organizações sindicais, patronais ou profissionais, directa ou indirectamente através de entidades em que detenham capital ou por si subsidiadas.

Impõe-se, pois uma séria reflexão dos responsáveis pela Rádio Montanha que julgo ser uma cooperativa pois ela é fundamental para: 

a) Promover o exercício do direito de informar e de ser informado, com rigor e independência, sem impedimentos nem discriminações;
b) Contribuir para o pluralismo político, social e cultural;
c) Contribuir para a formação do público, favorecendo o reconhecimento da cidadania enquanto valor essencial à democracia;
d) Promover a cultura e a língua portuguesa e os valores que exprimem a identidade nacional. (art.º9)

Pouco temos a esperar da RDP-Antena 1. Ainda há dias, o emissor das Lajes esteve silenciado, e não houve uma explicação aos ouvintes e contribuintes (sim pois, pagamos ao estado uma taxa de rádio e tv na factura da electricidade, que deveria reverter também para a nossa rádio local).

A Rádio Montanha já prestou e, de quando em vez, presta bons serviços ao concelho. Espero que retome o fôlego inicial, a bem de todos nós e da nossa terra.

Força!

publicado por sim às 14:47

Então o Sr Reformado não sabe que não há dinheiro??? Claro que está a par deste assunto... Mas a Câmara não quer pagar mais salários, muito menos para um funcionário na Rádio...
´
E porque não perguntar: Porque se foram embora TODOS AQUELES JOVENS COLABORADORES DA RÁDIO? Ser+a que foi por causa do Sr Presidente da estação????
Cotovia a 8 de Abril de 2006 às 19:13

Resposta à Sra Cotovia:

Todos os anteriores jovens colaboradores, sem excepção, colaboraram com a Rádio enquanto estudantes do Secundário, e só saíram para seguir estudos Universitários fora da Ilha. Alguns, continuam a trabalhar connosco durante as férias, e todos sabem que tem a porta aberta se decidirem colaborar no futuro, ou quando regressarem à nossa Terra.

Tem-se tentado sempre dar as melhores condições de trabalho, e incentivar a sua boa vontade e colaboração. Se alguém se sentiu “corrido”, pressionado a saír ou mal tratado pelo Presidente da Estação, desafio a que publicamente (ou neste “blog”) apresente as circunstâncias e as razões.

Fernando Cardoso / Presidente da Direcção da Rádio Montanha
Fernando Cardoso a 10 de Abril de 2006 às 15:10

A Escola Básica e Secundária aí das Lajes teve um clube de jornalismo que produzia um programa de rádio, e aí se revelaram alunos e alunas com talento radiofónico. Porque será que acabaram com esse projecto que poderia trazer mais jovens para a rádio?
Ouvnte da radio a 11 de Abril de 2006 às 11:34

Consta que o orçamento anual total da Rádio Montanha é menor do que o vencimento do qualquer empregado da RDP-Açores/Antena-1. E falha menos vezes. Porque será?
Anónimo a 8 de Abril de 2006 às 19:20

Sr. Picaroto,

Tem toda a razão em querer ouvir a nossa rádio... mas logo pela manhãzinha um programa a abordar assuntos da nossa terra, com convidados e tudo??? Só porque acordou cedo? Ó filho, então, seja mais condescendente pois é fim de semana, dia em que nós, a maioria dos habitantes deste bocadinho de céu, que trabalhamos toda a semana e sempre comandados (escravizados) pelo tempo, aproveitamos para pôr os soninhos em dia e morrinhar mais um bocadinho... Quem não gosta?? E sabe que desse morrinhar há resultados surpreendentes que contribuem para as estatísticas de natalidade?!... Ah, pois... e estamos na Primavera!
Mas se tentar, mais a meio da manhã, sintonizar-se à nossa antena ouvirá concerteza interessantes conversas, com convidados vários (de cá) e sobre variados temas (sobre a nossa terra e não só). E lembre-se, antes de mais, que a nossa é uma rádio amadora, feita por amadores, no ar durante 24 horas, sem qualquer funcionário remunerado. E com blocos informativos, conforme o Artº 39º ponto 2 mencionado no seu texto.

Mas vou já deitar as minhas cartas e ver que comentário nos reserva o Presidente da Rádio Montanha, meu amigo mas não cliente (é muito terra a terra, não embarca em transcendências...). Ele terá uma palavra a dizer e fá-lo-à com muito gosto. Tenho a certeza!

Bom fim de semana para todos!!!

Radioactivem-se... mas com cuidado!!! :-) :-)
Taróloga Pipi a 8 de Abril de 2006 às 19:45

Caro “Picaroto”.
Fui alertado por dois telefonemas para este “post”, que sinceramente, pensei em não comentar. Afinal, quem vive nas Lajes, sabe como funciona a nossa Rádio. Mas porque sei que o “blog” tem leitores fora da nossa Terra, achei que deveria esclarecer alguns pontos, para que não subsistam mal entendidos.
1. A Rádio Montanha não tem, nem nunca teve qualquer ligação ao poder ou aos partidos políticos, ou a quaisquer entidades afins: é independente.
2. Cumpre a Lei, transmitindo emissões locais entre as 11:00 Horas e as 19:00 Horas, diariamente e tem serviços noticiosos a todas as horas excepto às 11 e às 13; e durante esse período identifica-se devidamente, e tem boas audiências. (o “Picaroto” certamente ou não vive cá, ou não liga a nossa Rádio).
3. As despesas correntes da Rádio são financiadas pela publicidade que cobra às empresas locais, bem como com protocolos com a EDA e TMN (electricidade e comunicações a troco de publicidade). A Câmara Municipal cedeu-nos as instalações e financiou (será caso inédito?) o equipamento para emissão e cobertura integral (4 emissores) do concelho das Lajes, mas nunca deu subsídios para as despesas correntes, nem tal jamais lhe foi (ou será) solicitado. Das magras receitas da publicidade arrecadada mensalmente (+/-500Euros), a Rádio ainda paga Taxas de Radiodifusão e Direitos de Autor, e IVA e IRS ao Estado. Só não dá prejuízo nem vive de subsídios, porque não tem empregados remunerados. Vive da colaboração de amadores. Estas situações tem altos e baixos, e no nosso caso, já se conheceram, de facto, melhores tempos.
Mas, mesmo com as limitações conhecidas, a Rádio Montanha é a única que cobre INTEGRALMENTE o Concelho, e está 24/24horas no ar, com excepção com pequenos cortes motivados pelas falhas de electricidade (no momento em que escrevo estas linhas a Antena-1, a tal que é paga com os nossos impostos, e que gasta o dobro ou o triplo das nossas receitas mensais no vencimento ao seu menos graduado colaborador, como dizia um comentário anterior, está de novo falhada, “comme d’habittude”). Por outro lado, a nossa Rádio tem patrocinado Festividades, Acontecimentos Culturais e Desportivos desde que organizados por entidades sem fins lucrativos, por via da publicidade gratuita efectuada (mais de 200 em 2005!).
Quanto à programação local, concordo que já teve dias melhores e neste momento é um pouco deficitária em termos de informação local. Mas o “picaroto” também deveria saber (ou perguntar) que a Rádio funcionou até há 15 dias num quarto com 9 m2 no Auditório Municipal, e esteve em obras de adaptação e transferência para a sua nova sede, onde agora desfruta de excelentes instalações. Acredito, que estas novas condições serão essenciais para que os nossos colaboradores retomem o entusiasmo, e já tenho até indicações claras de que alguns programas de reconhecido valor no passado, vão reaparecer na nossa antena.
Assim sendo, teremos todo o prazer em aceitar a colaboração de todos os leitores que quiserem fazer um trabalho sério e isento, como tem sido sempre a linha de conduta desta Rádio. Deixo aqui um o apelo aos eventuais interessados, incluindo ao “picaroto”.
Agradeço o seu desejo de vigor futuro para a nossa Rádio, mas não deixo de registar o seu excesso de zelo e rigor para com voluntários e amadores (quando de si esperaria mais compreensão e incentivo), ainda por cima sabendo bem que nem a Rádio pública cumpre rigorosamente a legislação em vigor.
P.S.: Apesar do nosso amadorismo e magro orçamento, um estudo de audiências efectuado pela Antena-1 a nível da Região no ano passado, colocou-nos à frente de qualquer outra Rádio Local da nossa Ilha, e em boa posição na Região. Talvez por via da nossa ligação à RFM e R.Renascença, dirá. Mas tal ligação permite aos Lajenses, e demais Picarotos, terem acesso a alguns dos programas de maior audiência no nosso País, nomeadamente o Oceano Pacífico, Café da Manhã, Bola Branca, Diga lá Excelência, Com Sal e Pimenta, O Dia do Senhor, etc…, tudo isto sem comparticipação do dinheiro dos nossos impostos.

Obrigado pelo apoio dos comentários anteriores. Bem hajam!

Fernando Cardoso /Presidente da Direcção da Rádio Montanha
Fernando Cardoso a 9 de Abril de 2006 às 00:10

Obrigado ao Fernando pelo seu esclarecimento que demonstra transparência de procedimentos e vontade de melhorar.
Há, pois, que fazer um esforço maior para dotar a RM com noticiários locais que trarão, com certeza, mais ouvintes à emissora e a farão ainda mais respeitada pelos poderes:político, económico, religioso, etc. Uma rádio respeitada não pode ser nem a "voz do dono" nem a "voz da oposição" a tudo. A isenção obriga, porém, a levantar questões e abordar problemas e reivindicações locais com vista à sua resolução.
Ouvir as diversas pessoas e entidades, promover a participação cívica, dignificar o Concelho e a Ilha e dar voz á opinião pública é uma missão diária de uma enorme importância social .
O alegado amadorismo não pode justificar a ausência de programação e informação local, pois, quando se apresentou a candidatura, já se antevia dificuldades financeiras e outras para o cumprimento das obrigações das rádios locais.
Trouxe este tema à discussão sobretudo para alertar os seus responsáveis e os lajenses de que a Rádio Montanha necessita da ajuda e participação de todos.
Há bons exemplos noutros concelhos, que devem seguir-se, de molde a encontrar-se formas de cooperação estáveis e apoios financeiros suficientes para a nossa rádio prosseguir os seus objectivos.
Uma das formas seria transmitir a RM na net, para que os emigrantes e residentes no exterior seguissem a sua emissão. Difícil, mas muito importante.
Força e em frente!
Picaroto a 9 de Abril de 2006 às 01:34

Ó "Picaroto" no lugar de criticares identifica-te e começa a participar na vida da ilha da qual tiras-te o pseudonimo. Falar por falar muitos falam, mas é melhor provares que fazes alguma coisa se queres ser credivel.
Rui Silveira a 9 de Abril de 2006 às 12:28

O Picaroto deve estar a brincar! Mais apoios para a Rádio? Então não transcreveu a Lei que diz que a Câmara está proibida de o fazer? E não ouviu as notícias recentes de que o Governo Regional iria deixar de apoiar as Rádios e Jornais dos Açores? (Para continuar a apoiar o Santa Clara e afins!!!).

Só se for você, da sua choruda reforma, paga pelos nossos impostos... Aposto que daria para custear um quadro de pessoal completo para a nossa Rádio!

Mas já que estou certo de que não o fará, deixe que a Rádio Montanha nos continue a nos dar música (e da boa), enquanto você goza a sua reforma... ainda melhor!
rolling stone a 9 de Abril de 2006 às 13:09

De facto, a vontade de comentar neste blog é tanta que as pessoas nem se dão ao trabalho de ler com atenção os posts. Aliás, os comentários não são aos posts propriamente, mas ao Sr. Picaroto. Andam todos desorientados a tentar adivinhar quem é o Sr. picaroto e depois saem coisas do género "a sua reforma choruda" ou "quando ocupou posições que lhe permitiam fazer alguma coisa nesta ilha não fez nada". Ah ah ah. Divirto-me tanto com isto. Até imagino o reboliço na pacata vila das Lajes quando o Sr. Picaroto decide postar mais uma das suas farpas. Imagino os telemóveis a tocar, as mensagens trocadas do género: "Já saíu mais um, eu já comentei, vai lá ver..."
Hilariante!!!
Aposto que todo o executivo camarário tem esta página nos seus favoritos.
Mais uma vez, PARABÉNS Sr. Picaroto!
viciada no blog a 10 de Abril de 2006 às 10:22

A mim me parece que você não é a excepção à regra... daquilo que acabou de dizer!

Continue a não comentar os posts e a divertir-se e a comentar os comentários dos outros. Sempre dá para a contagem de visitantes...

Enxergue-se!!!
A mim me parece a 10 de Abril de 2006 às 16:13

Tem a página nos seus favoritos ou não?
Anónimo a 10 de Abril de 2006 às 18:15

Cá pra mim, já a usam como home page... ah ah ah
Anónimo a 10 de Abril de 2006 às 18:18

A mim parece que o "a mim parece" faz prestação ao executivo camarário. Veja-se o tom mete-nojo como postou...

Évora conection?
A mim não parece a 10 de Abril de 2006 às 16:29

Ah! Ah! Ah! Tão inteligente e com tão pouca esperteza e sagacidade!

Évora?? Porquê? Escrevi com pronúncia? Pois percebeu mal, deve ser da distância. Falo e escrevo com pronúncia cantadinha, só possível a quem cá vive há muito e não a quem cá vem de vez em quando, mas já com outras pronúncias... talvez do norte.
Canto, sim, canto que herdei deste cantinho onde, liberto, aterrou meu coração um dia e aqui se alojou.

Mas admiro e respeito muito a palavra solidariedade... e mais ainda quando é fraterna... Só por isso lhe perdôo o vómito.

A mim me parece (ou TPP)

A mim me parece a 11 de Abril de 2006 às 00:55

À Viciada no blog e a mim não parece:

A mim me parece que deixei por responder, por esquecimento, o que V. diz relativamente a eventual prestação minha ao executivo camarário. Não sei o que a faz supor que assim o seja... além de que o post que estamos a comentar, se não me engano, é sobre a nosa Rádio Montanha e não sobre o Executivo Camarário ou relacionado.

Você, de mim, conseguiu arrancar uma sonora gargalhada!!!

AMMP (ou TPP)
A mim me parece a 11 de Abril de 2006 às 01:18

A Escola Básica e Secundária aí das Lajes teve um clube de jornalismo que produzia um programa de rádio, e aí se revelaram alunos e alunas com talento radiofónico. Porque será que acabaram com esse projecto que poderia trazer mais jovens para a rádio?
Ouvinte da radio a 11 de Abril de 2006 às 00:25

A Radio é o que é. É de Amadores que nos merecem todo o respeito e admiração pelo espírito cívico e de voluntariado. O resto é querer falar por falar (escrever) sou dos que acreditam que a crítica deve ser construtiva e não balofa, já que esta última é estéril. Um abraço ao Fernando Cardoso pelo sua abnegação e perseverança na acção.

Domingo, Abril 09, 2006 6:54:25 PM

Anónimo a 11 de Abril de 2006 às 09:45

Apoiado. Tantos fornecedores de tachos e sorvedouros de dinheiro público que funcionam mal, e nem são questionados.
E agora uma grande preocupação com uma coisa que funciona bem só com voluntários? Tenham vergonha, e preocupem-se com o quem de facto está a destruir as nossas coisas, à custa do nosso dinheiro.
Força Rádio Montanha!
Greira Alma a 11 de Abril de 2006 às 13:47

A perseverança é tanta que os colaboradores sairam... e nem têm notícias próprias

Segunda-feira, Abril 10, 2006 11:37:17 PM

Cotovia a 11 de Abril de 2006 às 09:48

Esta cotovia tem algum problema na asa. Voluntários para trabalhar nem sempre aparecem muitos (Vá você ajudar a Rádio!).
Mas voluntários para deitar abaixo.... aparecem aos bandos! Por isso é que as Lajes está a bater no fundo.
Lagido a 11 de Abril de 2006 às 14:43

" Ó Maria,
Diz àquela cotovia
que páre de palrar,
Não vá o meu bébé acordar..."


Cotovia, muda o teu canto pois já entendemos que a tua, é uma dôr amuada. Tu é que fugiste, à procura doutros galhos, não foi? E até esses... é um volta... vai... e volta...

Cantas bem mas não convences!!
A mim me parece a 11 de Abril de 2006 às 14:46

Abril 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
14

16
17
19
21
22

23
24
26
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar
 
blogs SAPO