Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

01
Mai 06

Importa hoje e sempre lembrar os homens e mulheres desta terra que lutaram e lutam, arduamente, para ganhar o pão no mar, como pescadores e baleeiros, e em terra como agricultores e lavradores, funcionários públicos e de empresas privadas, trabalhadores da construção civil e operários especializados. Lembro também quantos deixaram a sua terra e procuraram melhores condições de vida e trabalho mais bem remunerado noutras paragens, nomeadamente na América do Norte.

Neste Dia Mundial do Trabalhador, vale a pena tomar consciência de que todos temos direito a um trabalho digno e compatível com as nossas capacidades, e aptidões e a um salário justo.

No mundo actual, são chocantes as desigualdades e injustiças. Cresce a multidão de pobres e os ricos são cada vez mais ricos. Esta situação gera conflitos crescentes e provoca situações de violência entre grupos sociais e entre países.

É, pois, cada vez mais urgente a necessidade de uma nova ordem económica internacional fundada na equidade e no respeito pela pessoa humana. 

http://lajes.blogspot.com

 

publicado por sim às 00:54

É interessante este post de um Blog feito por gente que sempre mamou à custa do povo que se reformou aos 40 anos que a maior parte deles viveram com altos salários da política. Mas adiante. Não é verdade que o numero de pobres no mundo esteja a crescer, é pura mentira, mostre-me os numeros onde se baseia para dizer isso? Ou é pura conversa de banco da matriz?
Os ricos estão cada vez mais ricos é verdade, é como vocês ou divides as tuas largas centenas por m~es com os teus vizinhos mais pobres? Bem prega frei tomás...
Ermo lindo a 1 de Maio de 2006 às 11:40

Quando o rancor invade o espírito, pensamos com os sentimentos mais ínvios.
Quanto aos pobres: só em portugal são 2 milhões, 20 por cento da população! Sente-se no banco e pense!pense que "quando o homem pensa o mundo pula e avança" e deixe-se de ver fantasmas ou de lançar tiros á água. Não acertou no submarino...
castelete a 1 de Maio de 2006 às 12:13

O que é bem verdade é o despeito que demonstra e o rancor que as suas palavras ostentam.

São sentimentos que não o deixam pensar adequadamente os temas aqui propostos. Queremos saber o que pensa verdadeiramente acerca do que aqui é escrito...
Anónimo a 2 de Maio de 2006 às 11:56

POBREZA
“Apelo aos representantes da comunidade internacional ao mais alto nível... para que adoptem um objectivo que vise diminuir para metade o número de pessoas que vivem na pobreza absoluta, até 2015.”
Kofi Annan, Relatório do Milénio

Estatísticas Fundamentais em http://www.onuportugal.pt/Pobreza.doc

•Mais de 2800 milhões pessoas, perto de metade da população mundial, vivem com menos do equivalente a 2 dólares por dia. Mais de 1299 milhões de pessoas, ou seja, cerca de 20% da população mundial, vivem com menos do equivalente a 1 dólar por dia.
•A Ásia Meridional tem o maior número de pobres (522 milhões dos quais vivem com menos do equivalente a 1 dólar por dia). A África a sul do Sara tem a maior percentagem de pessoas pobres, pois a pobreza afecta entre 46,3% e cerca de metade da população da região.
•Quase mil milhões de pessoas são analfabetas; mais de mil milhões de pessoas não têm acesso a água potável; cerca de 840 milhões de pessoas passam fome ou enfrentam um problema de insegurança alimentar; cerca de um terço das crianças com menos de cinco anos sofrem de subnutrição.
•Estima-se que assegurar o acesso universal a serviços sociais básicos e transferências para reduzir a pobreza em termos de rendimentos custe cerca de 80 mil milhões de dólares, o que representa menos de 0,5 do rendimento mundial.
•Os 20% da população mundial que vivem nos países com rendimentos elevados têm acesso a 86% do produto interno bruto (PIB). Os 20% mais desfavorecidos vivem nos países mais pobres e têm acesso apenas a cerca de 1% do PIB.
•O activo dos três homens mais ricos do mundo juntos excede o produto nacional bruto (PNB) dos 48 países mais pobres do mundo no seu conjunto.
•Em 1998, por cada dólar que o mundo em desenvolvimento recebeu de subsídios gastou 13 no pagamento da sua dívida.
Carla Silva a 2 de Maio de 2006 às 11:33

Boa Carla Silva, agradeço o seu contributo para uma discussão séria que o picaroto pretendeu desencadear. Pelos vistos ainda há quem teime em desenferrujar a inteligência...
mouraria a 2 de Maio de 2006 às 22:33

"gente que sempre mamou à custa do povo e se reformou aos 40 anos"


Ermo lindo ou Sinuoso Feio?
Ribeira Porca a sua torrente
Porta a 2 de Maio de 2006 às 18:45

Hoje falou-se das Jornadas internacionais de vulcanologia que estão a decorrer aqui com 40 cientistas nacionais e estrangeiros. Iniciativa importante para as Lajes, Agora não é para a presidente destacar os jornais Ilha Maior e jornal do Pico, como fez na página autárquica. Não fica bem deixar mal o jornal da sua terra, como também não fica bem ao jornal da terra publicar a notícia da Câmara sobre a abertura da nova escola básica/jartdim de infância, sem retirar os comentários que a notícia da Câmara encerra. É por aqui que se vê a independência de um OCS face aos poderes...
Como diz o Pe Júlio, em aryigo publicado na edição de O DEVER, desta semana:"o nosso clero jovem tem que se devotar ao estudo e ao jornalismo se quer fazer sensação e evangelização nas almas e nas famílias". Será que entendem este desafio que envolve a separação dos poderes?
à mesa do Lagoa a 2 de Maio de 2006 às 22:44

O Populismo fácil e demagógico é popular, mas como diz Pacheco Pereira e António Barreto, facilmente desmontável. Srª Carla Silva para vermos se o numero de pobres está ou não a aumentar temos de comparar com o que havia anteriormente. Minha ilustre raga os numeros de à vinte anos ou trinta para vermos se os pobres estão a aumentar. Boa noite
Ermo lindo a 3 de Maio de 2006 às 02:10

Entre muitas outras coisas, acho que se esqueceu de um "h": "à vinte anos"????.
É preciso mais rigor nas palavras...

Eu próprio vou ajudar a Sra. Carla Silva e tentar trazer à discussão os números que nos vão permitir fazer a comparação.
Maria Gonçalves a 3 de Maio de 2006 às 12:42

"No mundo actual, são chocantes as desigualdades e injustiças. Cresce a multidão de pobres"
ISTO É FALSO
Ermo lindo a 3 de Maio de 2006 às 02:12

Gostava de afirmar desde já a minha revolta perante qualquer atitude que tente minimizar um problema tão grave como é a fome no mundo. Seja ela maior ou menor nos tempos que correm. Mas se há preocupações académicas relativamente aos estudos de pobreza, aconselho a leitura do seguinte documento:
http://www.socialwatch.org/es/informeImpreso/pdfs/tematicosf2003_bra.pdf.

Relativamente ao que se passa nos dias de hoje, gostava de deixar o seguinte artigo da TSF:

Pobreza no mundo «deprimente»

O relatório anual do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento revela que como resultado da pobreza morrem todos os meses no mundo 900 mil crianças, o equivalente a três tsunamis idênticos ao que atingiu a Ásia. Lendo os números de outra forma, a cada hora morrem 1200 crianças.

A leitura do relatório anual do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento é «deprimente». Este aviso é deixado pela ONU.

Na abertura do documento, as diferenças entre países ricos e pobres são tão devastadoras que as Nações Unidas avisam que está a ser quebrada a promessa feita há cinco anos na Declaração Milénio.

Nesta altura, os líderes mundiais uniram-se e prometeram diminuir para metade a pobreza no mundo no prazo de quinze anos.

Sem rodeios fica agora o alerta, estamos a caminhar para um desastre do desenvolvimento humano.

Por exemplo, numa economia global cada vez mais próspera, mais de dez milhões de crianças por ano não chegam aos cinco anos de idade e mais de mil milhões de pessoas sobrevivem em condições de pobreza extrema com menos de um dólar por dia.

Para melhor percebermos este cenário, as Nações Unidas elaborou algumas comparações que classifica de «abjectas».

Um quinto dos seres humanos vive em países onde se pagam dois dólares por um café, outro quinto habita em zonas do globo onde crianças morrem por falta de uma rede mosquiteira.

Quem vive na Zâmbia tem menos possibilidades de chegar aos 30 anos do que uma pessoa que tenha nascido em Inglaterra no ano de 1840.

Se juntarmos as 500 pessoas mais ricas do mundo obtém-se um rendimento superior ao conseguido por 416 milhões de pessoas mais pobres.

A despesa actual com a SIDA, uma doença que custa três milhões de vidas por ano, representa o valor de três dias de despesas militares nos países ricos.

Durante a próxima década para levar água potável a dois milhões e meio de pessoas são precisos sete mil milhões de dólares, um número inferior ao que os europeus gastam em perfume e menos do que os norte-americanos gastam em cirurgias plásticas.

Se os países ricos resolvessem investir no abastecimento de água ao terceiro mundo seriam poupadas quatro mil vidas por dia.

( 12:00 / 07 de Setembro 05 )

Gostava também de apelar a todos os que participam neste blog para que sejamos responsáveis por um espaço de debate positivo. Os ataques pessoais e a linguagem vulgar não levam a lado nenhum. Se decidimos comentar os artigos e responder aos comentários aqui publicados que seja porque temos a certeza que o aqui deixamos escrito é construtivo.
Ramal a 3 de Maio de 2006 às 11:43

Você tem a mania que o que coloca é que é importante? Lave-se com sabão azul. O que transcreve da rádio Bagdad, digo TSF, em nada contradiz o início da minha discussão. A pobreza no Mundo é inadmissivel mas hoje existem menospobres que no passado. BYe
Ermo Lindo a 3 de Maio de 2006 às 21:08

Caro Ermo Lindo,

Lamento profundamente que tenha tanta zanga dentro de si. Parece-me que o seu único objectivo é o insulto pelo insulto como necessidade de se libertar dessa zanga acumulada. Não conhece nenhuma das pessoas a quem se dirige de forma insultuosa neste blog e nenhuma delas o insultou quando escreveu, no entanto parece querer a toda a força semear o conflito. É pena. E esta é aprimeira e será a última vez que respondo às suas intervenções enquanto o seu espírito for única e simplesmente o insulto. É uma atitude que só merece ser ignorada.
Ramal a 4 de Maio de 2006 às 13:23

A nova ordem económica internacional fundada na equidade e no respeito pela pessoa humana, vem-se repetindo a cada momento da Revolução, seja ela feita em que país for deste planeta. Estamos hoje recordando amargamente com saudosismo o antes do 25 de Abril. Infelizmente para uns e FELIZMENTE para outros, esse tempo passou e HOJE a realidade é bem outra. Pobres sempre os houve e sempre os haverá, mas os piores são os «pobres de espírito» que pululam e atacam sem discernimento, nem com consistência, aqueles que querem pensar e transmitir os seus pensamentos àqueles que detém o mando. Os ricos, sempre os houve e sempre os haverá, mas infelizmente esta casta de «ricos de inteligência», está a diminuir. Aqui é que a estatística das Nações Unidas está a falhar. Mas deixemos de subterfúgios e sejamos coerentes. O respeito pela pessoa humana começa nas nossas casas...ou não será?
Escritor a 3 de Maio de 2006 às 17:50

Maio 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12

14
15
16
18
19

21
22
23
24
25
26
27

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar
 
blogs SAPO