Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

28
Mai 06

                                                                                                              

Sancha Azevedo venceu o Festival da Canção BALEIA DE MARFIM que este sábado se realizou no Salão da Ribeira do Meio, Lajes do Pico. Com letra e música de Cinira Azevedo, Canção do farwest foi uma das 13 concorrentes. Os intérpretes foram acompanhados pela Orquestra Municipal, sob a direcção de Floriberto Ferreira e pelo Coro Infantil, dirigido por Sandra Cristina Ferreira.

Em segundo lugar classificou-se Erica Jorge com a canção de Sérgio Paixão No domingo fui ao Circo e na terceira posição ficou Inês Brum, com a canção O meu sonho também de Sérgio paixão. A pequenita Bianca Moniz, pela sua interpretação em A Joaninha , de Humberta Lima e António Bettencourt, foi distinguida com um prémio extra.

De salientar a enorme participação popular, que encheu por completo o Salão da Ribeira do Meio e a boa organização deste festival pelo nosso Município o que nos apraz relevar. O Festival foi apresentado pelo conhecido José Figueiras, profissional da TV.

Iniciativas destas merecem continuar pelo bom nome que dão da terra e das suas instituições e pela revelação de talentos. Seria também interessante que se fizesse edição em CD-audio ou video do festival. Certamente, muitos familiares dos artistas de palmo e meio, adquiri-los-íam para mais tarde recordar.

http://lajes.blogspot.com

 

publicado por sim às 23:30

Parabéns pela iniciativa. Parabéns à Sancha e aos Pais!
Rui Goulart a 29 de Maio de 2006 às 09:05

Parabéns a todas as crianças que participaram no Festival Baleia de Marfim! Continuem a cantar sempre pela vida fora, com alegria, sinceridade e de forma destemida, só pelo prazer de o fazer. Quanto aos adultos, por favor, não tragam para estas iniciativas, que são feitas para as crianças e pelas crianças, as vossas frustrações e as vossas rixas pessoais. Escolham outro lugar para o fazer. Esta é a festa das crianças e para elas já é uma vitória subir ao palco para cantar. São os adultos que lhes incutem a necessidade da vitória e a frustração da derrota. As crianças bebem tudo o que vocês fazem e dizem. Não lhes passem esse espírito mesquinho.
Parabéns Pequenos Grandes Cantores! a 30 de Maio de 2006 às 10:37

Acho muito bem a ideia do video. Será que a TV fez um serviço capaz para isso?
Aí está um trabalho do qual nada há a dizer. Mas cuidade! Não se dorme à sombra das execlências. Depressa se devanecem.
Um pormenor:
Não se distribuem aos circunstantes páginas de "coisas" que nada tem a ver com a nossa realidade. Quem sabe se aquelas páginas não terão sido a "nódoa" deste acontecimento. E já agora, porque não colocaram nas ditas páginas "o casameto do Helthon Jhon com o seu amigo"?
anonimo a 29 de Maio de 2006 às 12:28

Quando vi o maestro Emilio Porto no Juri vi logo que havia maerda. A cinira não é que fez a musica foi o Emilio Porto tal como fez para a irmã, embora esta tenha aparecido com o nome de cinira azevedo.

E depois sabem como é quem sempre teve maus vicios os vicios de influenciar etc etc etc


A Erica era a verdadeira ven cedora. Mas não tinha maestro
maestro a 29 de Maio de 2006 às 14:57

Acha mesmo que a prof. Cinira não tem capacidade para fazer aquela canção... não se engane!!
E mais, gostos não se discutem!!
Para mim quem deveria ter ganho era a Inês.
Porquê?? a 29 de Maio de 2006 às 15:16

A musica não.
maestro a 29 de Maio de 2006 às 16:16

PARABÉNS SANCHA! PARABENS CINIRA!
Dá-me pena ver tanta verborreia expelida neste blog, por pessoas ou pessoa, que nem se sabem exprimir na língua de Camões e são por demais mesquinhas para figurarem num sítio com tanto interesse como este. Primeiro ao criticarem a Cinira dizendo que ela não fez a música, é estar completamente a «leste do paraíso». A Cinira, vem duma família de músicos, tanto do lado da mãe como do lado do pai, o Sr. Belém e o Sr. Professor, José Augusto da Silveira Peixoto, hoje se fossem vivos, «davam cartas» à midiocridade que por vezes encontramos à beira das nossas portas. Não me admira nada que a Sancha, uma vedeta em palco, tenha congregado os genes dos seus antepassados e exibido, como tão bem o fez, todos os seus dotes de artista. Antes de terminar apenas um reparo. O Maestro Emílio Porto, é uma figura carismática reconhecida no meio musical português, como um dos melhores músicos que se passeiam na nossa praça. Quem tenta denegrir a sua imagem, nem categoria tem para abrir a boca e expelir qualquer som, mesmo desafinado como sempre o faz. «Quem tem dores de cotovelo, dá manteiga!» Aqui deixo expresso as minhas congratulações, aos promotores deste certame musical, um dos primeiros a nível Açores, aos músicos, aos compositores, aos poetas, ao júri, que teve a ingrata e sempre difícil missão de escolher a melhor canção e aos 13 concorrentes, que tiveram a coragem e a graciosidade, próprias da idade, para enfrentarem um público exigente e expansivo, como aquele que encheu por completo o Salão da Sociedade Cultural e Recreativa da Ribeira do Meio. Particularizando, refiro a pessoa da Exma. Presidente, enviando-lhe os meus parabéns, pelo êxito alcançado neste Festival, formulando os desejos sinceros para que para o ano o próximo, seja tão bom ou melhor do que este, que já faz parte da história do município.
Escritor a 30 de Maio de 2006 às 15:52

Comentário apagado.
Anónimo a 30 de Maio de 2006 às 15:03

O comentário que tomei a liberdade de enviar para o lixo, assinado por um tal ermo qualquer, sobre a gestão da escola das Lajes é falso. Continuar a difundir o erro é grave e não o posso permitir. A Escola tem sido inspeccionada como as demais da Região e pelo próprio Tribunal de Contas e nunca quaisquer daquelas instituições notou o que quer que fosse de irregular ou passível de processo judicial (ver relatórios da inspecção regional). É uma calúnia o que ali se dizia e por isso, como responsável do blog não permitirei que pessoas sem escrúpulos, difamem os outros a seu belo prazer.
Quanto ao resto, é voz suez de mal-dizer que a ninguém aproveira.
gestor do blog a 30 de Maio de 2006 às 18:40

Um tal "ermo", cujo comentário ofensivo enviei para o lixo, teve o desplante e a desonestidade de denegrir a gestão da Escola das Lajes, que várias vezes tem sido inspeccionada quer pela IRE quer pelo Tribunal de contas. Qualquer das instituições, após os exames normais à gestão daquela instituição não encontrou nem motivos de censura nem irregularidades. Sendo assim, e os relatórios são públicos, não se pode, a que pretexto for e sem provas, pôr em causa nem o bom nome da instituição nem dos seus responsáveis. Fica aqui o aviso, já feito anteriormente. Em situações idênticas o meu procedimento, como já o afirmei, será apagar semelhantes comentários, ou então submetê-los a prévia apreciação, o que não gostaria de fazer, para evitar que os tribunais julguem os prevaricadores por crime de difamação.
gestor do blog a 30 de Maio de 2006 às 19:04

jh
Anónimo a 31 de Maio de 2006 às 19:58

não percebi se eras contra o festival
Anónimo a 31 de Maio de 2006 às 19:59

Será que o Festival tem de ser sempre na Ribeira do Meio? Temos outros salões no concelho com óptimas condições, e com melhores acessibilidades e lugar para estacionamento. Talvez para o ano possamos ver o Festival nas Terras, Silveira, Santa Bárbara ou Santa Cruz.
Márcia a 4 de Junho de 2006 às 00:46

Desculpa não concordar contigo Márcia , mas apesar de não teres muito espaço para estacionar, o palco da Ribeira do Meio ainda continua a ser o melhor para uma actividade daquelas, na minha parca opinião, e a sala em si penso que tem melhores condições do que os outros. O da Silveira e óptimo para teatro e é para isso que está vocacionado e os outros ainda não estão preparados para uma actividade como aquela.. claro está, na minha opinião..
Anónimo a 7 de Junho de 2006 às 15:22

Maio 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12

14
15
16
18
19

21
22
23
24
25
26
27

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar
 
blogs SAPO