Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

21
Jul 06
A casa da Maricas Tomé, propriedade da Câmara, ameaça a segurança das pessoas. O edifício está a cair e constitui um perigo iminente para a segurança das pessoas e viaturas. As trepadeiras cobrem as paredes e caem sobre o passeio, mas o MONSTRENGO parece querer investir contra a incúria dos seus proprietários. "Um dia, a casa vem abaixo" e oxalá não fiquem pessoas e bens soterrados nos escombros. Parece impossível como é que a Câmara, que tem um Plano de Protecção Civil não o acciona naquele prédio, para que não suceda uma catástrofe. Noutros locais, taipais e uma armação de ferro são utilizados para segurar as paredes! Aqui, é o não te rales! fé em Deus e incompetência a olhos vistos. O pior é que o primeiro responsável pela protecção civil do concelho é a Presidente da Câmara que não pode alijar responsabilidades neste caso. Faça alguma coisa pela segurança das pessoas. Ou teremos de recorrer a outras entidades? Fica o alerta aos Bombeiros das Lajes e ao Serviço Regional de protecção civil para que façam alguma coisa também. http://lajes.blogspot.com
publicado por sim às 12:01

Por que é que a Câmara não vende o prédio para construção de uma residencial ou pequeno hotel, que tanta falta faz nas Lajes, em vez de teimosamente, persistir na construção de um Teatro?
Aos políticos só fica bem reconhecerem que tudo muda e que NÂO SE JUSTIFICA O TEATRO.
OS LAJENSES QUEREM UMA UNIDADE HOTELEIRA.
FAÇA-SE UM REFERENDO E SABERÃO QUE É ASSIM.
castelete a 21 de Julho de 2006 às 12:45

Este assunto já foi discutido aqui neste blog, embora noutra perspectiva, num post relacionado com o projecto do Teatro Municipal.
Pelos vistos não teve efeito nenhum em quem de direito.

ACORDEM....................Já é hora.......................
Saiam de quando em vez dessa letargia provocada pelo poder e vejam o que se passa rua.
Vássecualepra a 21 de Julho de 2006 às 13:28

Unidade hoteleira? Já temos tantas...
Mas não sabem que o chefe, sempre que vem cá de fim-de-semana tem sítio onde ficar.
Agora um TEATRO é uma obra que vem colmatar uma falha estratégica ao desenvolvimento do concelho.
Se há coisa que falta nas Lajes são salas de espectáculo de dimensão regional ou, até, nacional. É que a próxima temporada da GULBENKIAN ou do SÃO CARLOS poderá a breve trecho ser transferida para as Lajes, dada a oferta cultural registada nos últimos meses.
Ou até, algum grupo estreante de Évora, que na falta de melhor, sempre poderá actuar nos Açores e porque não nas Lajes do Pico?

Saudemos o chefe... que ainda lhe faltam mais de 3 anos de governação! Viva o orçamento da Câmara! Viva aqueles que votaram em Sara Santos! Viva o Presidente do PSD do Pico!
Anónimo a 21 de Julho de 2006 às 14:35

Meus caros esse imovel foi doado ao governo regional pela autarquia o ano passado para ai ser instalado os serviços da segurança soçial do concelho só que até agora ainda nada foi feito.É uma das promesas eleitorais do governo que ainda não foi realizada assim como o Lar de idosos.O tempo já vai praticamento a meio falta apenas dois anos para o fim da legislatura, mas vá lá vamos ter esperança apesar de todo o governo tem a realizado algumas, mas é sempre bom ir lembrando de vez em quando,é como diz o velho ditado "quem não apareçe esquece".
Este imovel não faz parte do dito projecto do Teatro.
Carlos a 21 de Julho de 2006 às 23:41

Desculpe lá Sr. Carlos, mas não posso acreditar nisso da doação ao Governo.

Então a CM gastou/pagou milhares de euros pela elaboração de um projecto de dimensão planetária, para que se fizesse um Teatro e agora deitou tudo fora?????

E as vezes - já perdi a conta - em que essa obra veio publicitada nos jornais, revistas municipais, boletins... é tudo mentira?

Como se costuma dizer popularmente: "isto dá cadeia!"

É que não é dar andamento errado ao dinheiro público, são falsidades acumuladas ao longo de anos.
Anónimo a 23 de Julho de 2006 às 14:08

A Presidente da Câmara não tem qualquer noção de gestão autárquica, quanto mais de protecção civil...

Ainda pela festa de São Pedro, encostada ao "Mostrengo" permitiu-se a instalação de uma tasca, e se aquilo vinha tudo abaixo, quem era responsável?

Do mesmo modo, na zona da Lagoa está instalada uma improvisada esplanada, muito digna do que de mais terceiro-mundo temos para oferecer a quem nos visita (mas, enfim!) e se aquilo vem abaixo um dia... sim, porque aquela estrutura de madeira não limita a força do mar que pode a qualquer momento atingir a respectiva base.

Também achei muita piada às declarações de Sara Santos ainda a propósito da tourada na Ribeira do Meio... "que se apurem os responsáveis". Mas quem é que licenciou aquela festa?
Anónimo a 23 de Julho de 2006 às 23:03

Caro Carlos e meus amigos,

lindo, lindo, seria que e a casa da Mariquinhas desabasse em cima da cabeça do Chefe e que depois disso, em tom de vingança e extremamente afectado, este escrevesse o seu primeiro best-seller intitulado "Como Enganei um Concelho e só levei com um Basalto nos Cornos"...
César (mas não Carlos) a 23 de Julho de 2006 às 23:32

Doado ao Governo? O Carlos tem a certeza de que foi mesmo doado? Sabe que, há poucos anos, teria sido acordado uma permuta entre a Filarmónica da Piedade, Casa do Povo, para construção de um Polivalente, com o aval do então P. Câmara , mas ao que parece, (será verdade?) a Filarmónica esqueceu-se de fazer esse ofício para a D. R. Seg. Social e nada está feito na Piedade. Nas Lajes, lembram-se, quantas vezes apareceu o esboço de isto e mais aquilo (incluindo a "Casa da Maricas do Tomé", em exposições de projectos "a concretizar pelo Município", no tempo desta maioria política, por altura das Semanas dos Baleeiros? Então não era para um "espaço público" que iria abranger o terreno entretanto deixado devoluto pela EDA , ao lado?
Anónimo a 25 de Julho de 2006 às 17:03

Oh Carlitos, home:

tu não é um rapaz discreto. Ai qui disgracia...
Cinha a 25 de Julho de 2006 às 20:28

Não sei se já tiveram o prazer de contemplar o cartaz da semana dos baleeiros? Não é preciso ser licenciado em artes gráficas para saber que um cartaz desta envergadura deve conter somente a informação necessária... o que não acontece.. a informação deve ser legivel a 2 metros de distância! o que é dificil.. o cartaz costumava ser alusivo á tradição do concelho... este podia representar uma festa qualquer... pois a tradição pelo vistos já não é o que era!!!
sátira a 30 de Julho de 2006 às 22:39

O verdadeiro cartaz da semana dos baleeiros está afixado no café BALEEIRO... é passar por lá e fazer a comparação.

Anónimo a 4 de Agosto de 2006 às 16:36

Eu vou mais para os que estão no ritinha..
Anónimo a 6 de Agosto de 2006 às 22:49

Julho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
15

16
17
18
19
20
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar
 
blogs SAPO