Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

08
Ago 11
Dizem os entendidos, e nós constatamos, que os municípios picoenses não efetuam quaisquer investimentos.Está tudo parado! Não entendo bem estes procedimentos, pois se há orçamentos aprovados e montantes destinados a isto e àquilo, por que não avançam os concursos? Mas com bom senso e critério!...Há anos, pretendeu-se construir nas Lajes um Teatro Municipal, nas traseiras da inditosa casa da Maricas Tomé. O projeto abortou por influência da opinião pública que não achou bem a execução da ideia camarária. Mais tarde, apostou-se no Polivalente da Piedade, com aval Municipal. O edifício está concluído, mas falta pagar ao emproteiro que, sem dinheiro, não entrega a chave. Penso que é hora de construir o necessário economicamente rentável pois sem gente não há investimentos que cheguem. Há tempos prometeu-se um polivalente ddesportivo para Santa Cruz, para uma modalidade em que os atletas são, quase todos de fora. (Não aprendemos nada com a ruinosa época do Lajense na terceira divisão, nem com o Madalena no hóquei e no futebol). Vivemos do imediato, do que dá votos, do efémero e os que vierem que fechem a porta. Talvez por isso é que os investimentos não se destinam a criar riqueza. Pretendemos o foguetório, enquanto os visitantes cada vez mais optam pelas Lajes e os daqui optam pelo exterior. Contrastes que fazem pensar, sobretudo a quem viveu mais anos e já viu este teatro num qualquer palco da praça pública... E ainda querem uma escola nova nas Lajes?...Para quem? Para ficar vazia após o construtor a terminar? É necessário repensar as opções políticas JÁ, ou estaremos a des. éreo ar a galinha dos ovos de ouro...
publicado por sim às 17:59

Agosto 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19

21
22
24
25
26
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
pesquisar
 
blogs SAPO