Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

06
Nov 06

Já dissemos, anteriormente, que a construção de um Teatro Municipal era, para já, desnecessária. Falta tanto a esta Vila, nomeadamente, actividade económica que absorva a juventude que sai da Escola e a que pretende regressar após terminar os seus cursos, que é UMA TEIMOSIA POLÍTICA, avançar com esse projecto megalómano. Assim não o entende a maioria municipal, de tal modo que, a Câmara volta a exibir na capa do Boletim Municipal o esboço do projecto executado no tempo Cláudio Lopes.

Às razões atraz referidas, acresce o facto da freguesia das Lajes dispôr de várias salas de espectáculos: Filarmónica, Auditório, Salão da Ribeira do Meio, Salão da Silveira e até os das Terras e Almagreira, que com as respectivas melhorias, servirão os eventos culturais que aqui decorrem, para uma população inferior a 2.000 habitantes.

O assunto fica à discussão pública neste BLOG. Digam da vossa justiça exercendo um direito de cidadania. Não são precisos grandes comentários. Basta que responda se CONCORDA OU NÃO COM A CONSTRUÇÃO DE UM NOVO TEATRO MUNICIPAL NAS LAJES DO PICO.

Espero uma participação massiva, referendando esta proposta camarária.  

publicado por sim às 12:12

JÁ O DISSE E REPITO NOVAMENTE QUE, FAZER O TEATRO MUNICIPAL É HIPOTECAR O FUTURO DAS LAJES. HÁ OUTRAS PRIORIDADES QUE NESTE BLOG JÁ FORAM POR DEMAIS ESCALPELIZADAS. AGORA O QUE FAZ O SR. CLÁUDIO LOPES? RETIRE A CONFIANÇA POLÍTICA À MAIOR CAUSADORA DE TODO ESTE ESVAZIAMENTO DA NOSSA VILA. POR FAVOR DONA SARA, UMA AGÊNCIA DUM BANCO QUE NEM SABEMOS O NOME, NÃO É DE FORMA ALGUMA UM «TERMÓMETRO QUE AVALIA A TEMPERATURA» E A PROSPERIDADE DUM MUNICÍPIO. PORQUE NÃO DISSE O NOME DA INSTITUIÇÃO BANCÁRIA AOS MUNÍCIPES? DESSA FORMA QUER-NOS PARECER QUE É MAIS UM ARRAZOADO E MANOBRA DE DIVERSÃO DA ESCRITA DO SEU MARIDINHO. MANDE É INVESTIGÁ-LO E DEPOIS DEIXE-SE DE SORRISOS ANGÉLICOS QUANDO APARECER A BAJULAR UM JOGADOR DOUTRO MUNICÍPIO, OU SERÁ TAMBÉM MANOBRA DO CHEFE DESSA QUADRILHA? AUDITÓRIO PARA QUÊ? FAÇAM NAQUELE ESPAÇO ALGO DE PROVEITOSO PARA FIXAR A JUVENTUDE E NÃO PARA A AFUGENTAR, COMO VEM SENDO O CASO, JÁ DE HÁ ALGUNS ANOS A ESTA PARTE! SABE QUANTOS JOVENS LICENCIADOS VOLTARAM PARA AS LAJES? SABE QUANTOS SAÍRAM? FAÇA UM INQUÉRITO E DEIXE-SE DE LAVAGENS A CÉREBROS PARA CONSEGUIR SEMPRE OS MESMOS BUJANJAS E NÃO DÊ TANTO CRÉDITO AOS SEUS «OLHOS E OUVIDOS», QUE ANDAM POR AÍ A LEVAR-LHE E A TRAZER-LHE OS MEXERICOS QUE SÃO TÃO DO SEU AGRADO . SRA. PRESIDENTE, SEJA DUMA VEZ POR TODAS UMA «DAMA» COM «D» GRANDE E COLOQUE-SE NO SEU DEVIDO LUGAR PARA NÃO PERDER AINDA MAIS O JÁ POUCO PRESTÍGIO QUE AINDA DESFRUTA ENTRE A POPULAÇÃO DO SEU CONCELHO, PORQUE DA SUA VILA JÁ O PERDEU TOTALMENTE, NÃO DEU POR ISSO NAS ÚLTIMAS ELEIÇÕES? OU É BURRA, OU É CEGA E «NÃO HÁ PIOR CEGO DO QUE AQUELE QUE NÃO QUER VER!» E, É INFELIZMENTE O SEU CASO.
ESCRITOR a 6 de Novembro de 2006 às 13:22

Não concordo com a implementação dum Auditório naquele lugar que antes já foi ocupado por uma Igreja e por um cemitério. Ou será que depois de construído vai servir para que os «espíritos malignos» daquele tempo, venham usufruir daquele espaço para exorcizarem a alma duma Presidente que morreu devido a uma angústia existencial, provocada por um alfacinha, que aqui chegou a cavalo numa égua num dia de nevoeiro, arvorado em «Chico Esperto»!?
Zé do Cruzeiro a 6 de Novembro de 2006 às 13:34

Qualquer pessoa com 3 dedos de testa desmancha rapidamente esta ideia do teatro. E com 3 pontos apenas:

1- O facto das Lajes do Pico não ter público suficiente para um equipamento daquela envergadura

2- O projecto de arquitectura ser francamente mau

3- Os encargos de manutenção daquele edifício

E como não resitsto:

3a- Imagine-se o que será a empresa municipal gerida pelo chefe a comandar esta coisa?
Gil Vicente a 6 de Novembro de 2006 às 13:48

Sou positivamente, passe a redundância, contra a construção de mais um «mamarracho» na nossa Vila. Um TEATRO MUNICIPAL....NÃO! Quem é a favor da sua construção é o «dono» das «mil ideias» que ali descobriu um filão para, como empresário que o é, poder trazer os seus amigões do clube alentejano que ele capitaneia. Lajenses!!!!!!! Duma vez por todas abram os olhos e ponham a andar o único predador desta nossa Vila. Não somos adeptos da «justiça da noite», mas há casos que podem «mais que as leis», no dizer das nossas gentes.
Zé das Terras a 6 de Novembro de 2006 às 13:48

Fazer um Teatro Municipal nas Lajes e nos moldes em que vem sendo projectado, é criar uma artificialidade que pode satisfazer muitos interesses, agora não serão certamente os interesses daqueles que aqui vivem ou pretendem futuramente fixar residência.

Uma obra desmesurada, totalmente desproporcionada, em pleno centro histórico da Vila, um buraco gigantesco para viver eternamente – se chegar a nascer – à custa do dinheiro dos contribuintes. Um monstro subsídio-dependente.

Por atenção ao custo da obra e ao impacto social, cultural e urbanístico, acho que as pessoas deviam ser chamadas a emitir opinião directa... uma excelente oportunidade para ser convocado um REFERENDO LOCAL.

Vamos dar voz àqueles que são os verdadeiros detentores do poder: os cidadãos do concelho!!!!!! Em vez de deixarmos que dois ou três, hoje aqui, amanhã ali, decidam por nós... condicionando toda uma estratégia de futuro.

Aqui fica a proposta...
Zé da Rua Nova a 6 de Novembro de 2006 às 14:53

Acho uma excelente ideia. O exercício da Democracia em pleno direito. Vamos dar voz ao povo!
Só é pena que, segundo já me informei, a proposta de referendo tenha de ser aprovada por maioria dos membros na Assembleia Municipal. E ou muito me engano ou os cordeirinhos dos deputados municipais do PSD, aqueles que aparecem a cada sessão para decorar a sala, não permitirão essa realização... Sara Santos é dona e senhora dos seus votos!!!!
Manel da Vila a 7 de Novembro de 2006 às 16:54

Um teatro municipal não é uma teimosia política , mas sim uma teimosia de quem governa de costas para o povo e apenas virado para o seu umbigo...O teatro não vai servir os lajenses mas sim satisfazer as ideias do chefe e dos seus amigos! As lajes necessitam de outras infrastruturas , porque se formos a ver bem já temos uma data de salas que servem o teatro, as palestras, os concertos, etc. O caso do chefe está a tomar proporções surreais, uma prova disso é o seu blog onde ora atira textos "culturais" ora faz campanha política para abrir caminho para futuras obras e futuros projectos para os seus amigos...
Anónimo a 6 de Novembro de 2006 às 18:32

Nem mais!!!! O blog do CHEFE é um misto de pseudo-culturalismo e propaganda camarária!!!!!!
Picaroto a 7 de Novembro de 2006 às 16:56

Discordo a 100%, é uma questão de bom senso e de ter 2 dedos de testa.
Anónimo a 6 de Novembro de 2006 às 21:00

Dado que este assunto também foi abordado no Castelete Sempre", transcrevo o que nele escrevi:

"Vou dar-lhe a minha opinião, que vale o que vale, pois eu sou um lajense "morador" durante um mês por ano, o que é manifestamente pouco. Mas enfim... Eu não contesto, antes apoio, a construção futura de um espaço que também sirva para Teatro, mas que tenha outras funções culturais, como galeria de exposições, por exemplo. Mas...e neste mas há um mundo, será que tal edifício se insere nas prioridades básicas, leia-se investimentos públicos, da Vila? Aqui, se me permite, reservo para mim a opinião. Compete aos Lajenses, aos seus eleitos que ocupam o Poder, à Oposição que também elegeram, discutir e depois decidir em conformidade".
joseaugustosoares a 6 de Novembro de 2006 às 21:46

Amigo! Discordo 100% da construção do dito «mamarracho» uma vez que este não benificia em nada esta vila quer no seu aspecto fisico como funcional.Para exposições qualquer das outras estruturas servem desde que se adapte um ambiente para tal.
E se se penssasse num Centro de dia a Apoio a dificientes? de modo que os familiares dos mesmos desempenhasem a sua vida social com mais tranquilidade, sabendo que os seus utentes estavam em segurança?
Com esta proposta sugiro aos dirigentes camarários que bem necessitam de terem pensamentos adquados para que possa ser resolvido mais um dos problemas que afectam o nosso concelho....
Maria da fonte a 7 de Novembro de 2006 às 13:34

O texto que abaixo plagiei de um anónimo diz tudo e vale bem a pena ser transcrito. Os Lajenses não são parvos. Já perceberam as reais intenções desta cambada de Évora e do alibabá chefe de gabinete.

"Um teatro municipal não é uma teimosia política , mas sim uma teimosia de quem governa de costas para o povo e apenas virado para o seu umbigo...O teatro não vai servir os lajenses mas sim satisfazer as ideias do chefe e dos seus amigos! As lajes necessitam de outras infrastruturas , porque se formos a ver bem já temos uma data de salas que servem o teatro, as palestras, os concertos, etc. O caso do chefe está a tomar proporções surreais, uma prova disso é o seu blog onde ora atira textos "culturais" ora faz campanha política para abrir caminho para futuras obras e futuros projectos para os seus amigos...
Anónimo a 7 de Novembro de 2006 às 18:31

Novembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
15
17
18

19
20
21
22
24
25

26
27
28
29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar
 
blogs SAPO