Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

02
Jan 07

Afinal o desabamento do Hiper das Lajes deverá significar o fim do empreendimento todo, pelo menos naquele local.

Segundo se soube, só começando nova construção, o que é extremamente caro e demorado, se poderá ali fazer alguma coisa, mas com fundações mais sólidas que as anteriores.

Mais uma vez as Lajes ficam a perder.

Não haverá quem queira deitar mãos à obra e pôr de pé outra iniciativa semelhante?

Ou virá alguém de fora preencher essa lacuna do concelho? Quem toma a iniciativa de congregar vontades e capitais?

publicado por sim às 11:56

És realmente muito parvo, porque raio não te informas primeiro das coisas com quem de direito que está por dentro do assunto em vez de escreveres nesse teu blog asneiras atrás de asneiras. Para tua informação as obras recomeçam já para a proxima semana.
Carlos a 2 de Janeiro de 2007 às 22:03

Se recomeçam para a semana por que é que não informam a população do que se está a passar?
E se o desabamento acontecia após a abertura que foi anunciada para o Natal último? O que aconteceu? Será que os consumidores podem ficar descansados de a construção ter sido correctamente feita? Olhe que as informações que circulam por ai, de pessoas que sabem da matéria, não são abonadores de uma construção bem feita.
E se recomeçam para a semana por que se esconde as causas do desabamento? Têm medo de quê? Quem não deve não teme!
Se o que aconteceu fosse em São Miguel ou na Terceira a coisa não tinha ficado assim, isso garanto. Mas aqui, terra de brandos costumes(!) tudo se cala e tudo se consente.
E já agora, mesmo que recomecem as obras, nada impede de haver outros empresários que invistam no mesmo ramo. Bem precisamos pois como estamos, não há concorrência, por isso vamos para a Madalena fazer compras.
É tudo uma questão de preço e de poupança.
Já agora estou inquieto para saber se as obras recomeçam para a semana. Tem de vir tudo abaixo a começar pelo tecto e depois as paredes pois parece que nada se aproveita...
castelo a 3 de Janeiro de 2007 às 00:00

Ó meu amigo esta obra é privada com interesse público, esteja calado....
O Prior do Convento a 12 de Janeiro de 2007 às 11:09

Vai pescar gambuzinhos para a lagoa
ponta do pargo a 2 de Janeiro de 2007 às 22:41

Concordo com o primeiro comentario porque razão as pessoas não se informam primeiro antes de falar, mas isto é uma terra em que se dá mais atencão ao disse que me disse de que as factos reais.
Anónimo a 2 de Janeiro de 2007 às 23:05

Artur tudo se vai resolver.
SÁSa a 3 de Janeiro de 2007 às 14:33

Bem pelo que sei e que me foi dito por um funçionario do Ancora Park o erro foi da empresa de construcão que não seguio o projecto á risca e diminuio em alguns centimetros a espessura de duas das traves de aluminio na parte de trás onde termina o armazem e começa o hiper, isso fez com que não tivesse apoio suficiente abrindo nessa zona e provocando um efeito domino de desabamento no restante edificio. Depois de apuradas as "culpas" a empressa fez entrar em campo a seguradoura que está a indemenizar a Ancora Park. Penso que os trabalhos recomeçam em pouco tempo com a desmantelamento de toda a estrutura que caiu menos o armazem isso deverá levar cerca de um mês, só depois se irá erguer novamente. Segundo consta pensa-se inaugurar em Maio.
Isto se nada mais acontecer pois á muitas "pragas" de muita gente que naõ deseja este empreendimento especialmente pessoal do lado da fronteira.
Força ANCORA PARK
Anónimo a 3 de Janeiro de 2007 às 13:02

Afinal o pessoal da fronteira, esteve implicado na má construção do Âncora Parque? Afinal o pessoal da fronteira foi o arquitecto duma obra que nem tem pilares de suporte do tecto? Afinal o pessoal da fronteira precisa de ir às Lajes fazer compras quando o pode fazer na Vila da Madalena onde tem duas infra-estruturas do género? Mexam-se vocês «os lepras», que viveram sempre à sombra do Sr. Edmundo e da Empresa Cristiano Limitada, porque não foram capazes de manter a empresa que fazia e tinha o comércio do Canal e de todo o sul do Pico onde a «Hermínia e a Lourdes», ditavam leis. Depois veio o Antunes com a sua fábrica do Peixe. Quem o atraiçoou? Por acaso sabem? Ele ainda anda por aí, «mal» mas ainda anda. Foi por acaso o Sr. Comendador Pessanha, de saudosa memória, que para aqui veio para desenvolver a nossa Vila e dar emprego a toda a Ilha? Sim porque ainda vem gente desse concelho «baleeiro», para aqui trabalhar, «beijar a santa». Lutem por aquilo que é vosso e escrevam coisas discretas no vosso «Boletim Paroquial», onde há muito deveria ter sido inserta nas suas páginas uma entrevista com os empresários deste empreendimento. Ou será que vocês precisam do repórter do «Ilha Maior» para que ela seja aqui publicitada? E já agora sabem porque é que o Governo não dá publicidade à vossa «folha de couve»? É porque não tem qualquer credibilidade perante a população e se ainda está de pé é porque há ainda carolas como eu que também a assino, mas acima de tudo querem a nossa Ilha sempre a progredir e nunca a regredir. Tenham juízo e deixem-se de ir conspurcar os cafés do Baleeiro, do Lajense, do Lagoa, do Edmundo e a Tasca do Ritinha . O mexerico fez-se para as mexeriqueiras e não para os homens activos. Sejam sérios e empreendedores e deixem-se da «mama» do subsídio e trabalhem. A encosta dessa Vila é uma vergonha. Ao menos temos o Pico dum lado e do outro temos o Faial e vocês só têm ainda a montanha, porque atrás das costas tem mato onde já foi tudo terras de cultivo. A agricultura é uma profissão e da terra se tira o pão. Trabalhem vocês!
Zé do Pico a 3 de Janeiro de 2007 às 15:09

QUEM ESCREVE ASSIM NÃO É GAGO...
SÁSA a 3 de Janeiro de 2007 às 15:52

Quem escreve assim revela um provincianismo atroz!
Lajense a 6 de Janeiro de 2007 às 22:45

Há muitas considerações com as quais concordo em absoluto.
Dia a quem doer, há afirmações do Zé do Pico que são verdadeiras.
Infelizmente, muitos lajenses, ou naturais do nosso concelho estão na Madalena a fazer, e bem!, pela vida. Pena foi que tivessem mudado de residência.
O certo é que ainda podemos dar cartas em alguns sectores de actividade, o mais importante é a agricultura, pecuária e indústria de lacticínios, sem esquecer o whale watching. Aí ninguém nos ganha. Mas é preciso arriscar e criar mais empreendimentos nesses sectores, pois toda a actividade económica rege-se por ciclos descendentes e ascendentes. Os mais criativos encontram sempre saídas rentáveis para os seus investimentos.
castelete a 3 de Janeiro de 2007 às 18:08

O Zé do Pico só não tem razão nas afirmações sobre a construção. O que entendi, são "pragas" e essas até acredito que sejam ditas. Agora quanto ao resto até parece que é um lajense a "falar" pelo conhecimento de causa sobre os assuntos aflorados.
Realmente uma entrevista até esclareceria não só os
que aí vivem, mas tambem os que estão ausentes.
Os mexericos e todo o mais está na genese dos habitantes daquela terra e nada feito.
Vamos confiar, porque a esperança deverá ser a ultima coisa a morrer.
lajense longe a 3 de Janeiro de 2007 às 19:04

Com o conhecimento de causa que pareces ter, aconselhava-te a emigrar para as Lajes. Davas de certeza um belo empurrão àquela terra.! Voto no Zé do Pico
Manuel da Madalena a 4 de Janeiro de 2007 às 16:28

Penso que o Zé do Pico deve-se ter sentido pelas afirmações do post das 13:02 que falava nas "pragas" se não ele não teria respondido mal e groseiramente como o fez denegrindo tudo e todos no seu comentario. Pelo tom da escrita ali pareçe que a raiva e o azedume vem de dentro. Pois meu amigo o que foi dito no Post das 13:02 nada de errado tem alias penso que no fundo sabes bem disso, pois é a verdade.
Eu proprio ainda á poucos dias no Hiper Compra estando a fazer compras para as Festas ouvi declarações nesse sentido junto ás caixas como por exemplo "esse pessoal das Lajes ainda vai fazer muitas compras aqui pois agora caiu o tecto do hiper e a seguir vai ser a lomba e abafar aquela merda" e outras mais que nem vale a pena repetir.
Por isso as ditas pragas tem a sua razão de ser, claro que lá por meia duzia de criaturas ter essa opinião não significa o pessoal todo da Madalena que até tenho muitos bons amigos por lá, agora acho que o senhor Zé do Pico deveria ter mais calma.
E a proposito se na Madalena existe dois Hiper não foram construidos só a pensar nos 6.000 habitantes do concellho mas nos 15.000 da ilha. Por isso acho que merecemos um pouco mais de respeito por estes lados pois afinal contribuimos e em muito para o desenvolvimento desse concelho.
Obrigado.
José Silva a 3 de Janeiro de 2007 às 22:24

Como isto vai... Agora "andamos às turras" uns contra os outros dentro da ilha e o Faial a rir. O aeroporto sem iluminação certificada... a TAP a vir ao sábado à Terceira, de manhã, com ligação da SATA, também de manhãzinha do Pico para lá, tudo para que não venha directamente ao Pico a TAP, para levar os desportistas desta ilha para o Continente. Unamo-nos neste desaforo que só pode servir ao Faial, único prejudicado com os voos TAP para o Pico. Ainda hoje, quem quis sair da ilha, teve de ir para o Faial , embora uma hora depois a SATA tenha aterrado no Pico, mas para ir para S. Miguel... Quanto à obra da empresa Ancora Park , são dinheiros privados e quem os investiu é que tem de se defender. É de mau gosto estar a tentar sacar informações que, por envolverem seguros, podem interferir nessas possíveis indemnizações , por isso o "dono" do blog poderia ter sido mais comedido, tal como foi o José Augusto, no Castelete ". É que estamos todos de acordo em que as Lajes necessita de uma "lufada de ar" na modernização do seu comércio. Aí estamos todos de acordo. Procuremos então pontos de convergência - nós os lajenses - e deixemos as divergências para as mentes mais "truculentas" e ávidas de polémicas estéreis... Já agora se não fossem os "transportes escolares" onde andaria a "Cristiano L.da" ???
Anónimo a 4 de Janeiro de 2007 às 02:10

Mas afinal quem tem medo da verdade?
Se a obra está bem feita, por que é que caíu?
Ou não caíu? Querem tapar o sol com a peneira?
Quem está a ganhar com este silêncio, mesmo que seja uma empresa privada?
Ou os privados não devem respeitar as regras de segurança?
Ninguém defende mais o hiper ancora do que eu, mas há coisas que os cidadãos merecem explicação e essa não foi dada nem na altura do sinistro, nem agora. PorquÊ? PORQUÊ??????????????????
voz do povo a 4 de Janeiro de 2007 às 14:59

Outro Boi a tentar falar de PALHA!!!!!
O Prior do Convento a 12 de Janeiro de 2007 às 11:14

Para que não haja qualquer confusão, gostaria de esclarecer que um comentário escrito em cima e assinado por "castelete", nada tem a ver comigo.
Até porque não tenho "patente registada" do castelete...
Um abraço para todos e Bom ano.
joseaugustosoares a 4 de Janeiro de 2007 às 16:42

Só tens a patente do parvo do queijo de são joão
ermo-lindo a 5 de Janeiro de 2007 às 15:41

Custa a crer que alguns Senhores como este Zé do Pico queiram a todo o custo semear a discórdia entre Lajes e Madalena... Acredita mesmo que a Madalena é assim tão superior às Lajes??? Por amor de Deus... é mesmo próprio de mentalidades mediocres e provincianas de quem nunca foi além do canal...
Lajense a 4 de Janeiro de 2007 às 17:49

Só vejo uma pequena diferença entre Lajes e Madalena: enquanto no concelho em frente ao canal todos puxam no mersmo sentido, aqui pelo sul do Pico, é um salve-se quem puder, muito por culpa dos governantes dos últimos anos, alguns deles hoje Deputados do PSD e do PS. Instalou-se um ódio de morte à Vila. Não se vê o minimo de preocupação em contrariar a desertificação e o atraso galopante face aos concelhos vizinhos.
Anónimo a 4 de Janeiro de 2007 às 18:05

Sabem porque é que isso acontece, porque a Vila não tem gente com voz » na Assembleia Regional. Os deputados do concelho do Sul. No PS os dois deputados que por lá tem, os dois são naturais da Piedade, um tem casa na Piedade e tem um ódio figadal à «Vila» e o outro mora em Santa Cruz, porque teve medo de morar nas Lajes e só serve para desancar no Governo. Ao menos um deputado que temos na Assembleia Regional é da Madalena e luta pelo desenvolvimento da «nossa» Vila, coisa que vocês aí nunca souberam fazer. Lembram-se dum Secretário Regional que era natural das Lajes? O que é que ele fez pelas Lajes? Poderia ter feito muito, mas por ter medo da sua sombra nada fez por esse «lugarejo» que, e segundo as previsões mais optimistas está condenado a desaparecer em cem anos engolido pelas águas do oceano. E ainda querem teimar (alguns), em fazer a Escola que cada ano perde alunos, enquanto que a «nossa» aumenta, no lugar onde foi «mal» implantada a outra? Aquilo que temos foi conseguido à custo dos nossos braços. Da terra fizemos pão e da rocha tiramos o vinho. Querem outro exemplo? O «nosso jornal» Ilha Maior, teve na mesma semana do vosso, 36 páginas e sabem o vosso quantas teve? Apenas 16. Tenho muito mais para vos dizer, se me puxarem pela língua. Com «paninhos quentes» não vamos a lado nenhum e acho que vocês até gostam muito deles... «dos paninhos». A prova está à vista! «O maior cego é aquele que não quer ver! E já agora, o Hiper Âncora Parque, pronto em Maio? Só se fosse construído em madeira e mesmo assim... desconfio! Espero para ver!
Zé do Pico a 5 de Janeiro de 2007 às 17:06

Rectificando. O concelho tem dois deputados, um do PS e outro do PSD. São naturais da mesma freguesia, mas de partidos diferentes. Peço desculpa pela incorrecção.
Zé do Pico a 5 de Janeiro de 2007 às 17:10

Alguem sabe quem é o Deputado PS das Lajes? Nunca tal vi esse Senhor perguntar aos Lajenses quais as suas preocupações e anseios...
Por favor, quem é esse Senhor?
Por onde anda que nunca o vejo?
Tem medo da Vila, dos Lajenses? Mas não são os Lajenses que lhe pagam o ordenado? Mas para fazer o quê?
Anónimo a 6 de Janeiro de 2007 às 22:24

Janeiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

14
16
17
18
19

21
22
24
25
27

30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar
 
blogs SAPO