Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

21
Jun 07

Neste primeiro dia de verão, impõe-se perguntar se está tudo preparado para receber os forasteiros e visitantes que aqui se deslocam para ver o que temos,apreciar como fomos e somos e confraternizar com familiares e amigos.

Será que temos a "casa" limpa, arrumada, preparada para lhes dar conforto, segurança e bem-estar?

Fizemos - todos! - o que devíamos e nos era possível, para lhes proporcionar umas férias agradáveis e deixá-los com o desejo de cá voltarem?

Ou não ligámos a isso e , então, perderemos mais uma oportunidade de promover as Lajes, o concelho e a Ilha do Pico? 

publicado por sim às 13:50

Está tudo preparado para receber os amigos do chefe. Imagino os contactos que devem estar feitos para trazer grupos de Évora à semana dos Baleeiros. Teremos o Vitorino outra vez por cá?
Anónimo a 21 de Junho de 2007 às 17:08

A casa só estará arrumada quando o chefe estiver daqui para fora. Como é possível termos à frente da nossa autarquia uma pessoa que não nasceu, não cresceu e não vive nas Lajes!!!!

E pago a peso de ouro. São mais de 2000 mil euros por mês!!!!

Quero saber o resultado da inspecção???? Sara Santos deve explicações aos Lajenses!!!! O dinheiro que gere não lhe pertence. É dinheiro público.
Anónimo a 21 de Junho de 2007 às 17:13

Não percam o proximo livro da autoria do nosso chefe intitulado "Como enganar a população de uma pequena vila em 10 lições" com o prefacio de sara antos.
Anónimo a 21 de Junho de 2007 às 20:53

Por falar em livros.... seria interessante saber quanto dinheiro já investiu a Câmara Municipal das Lajes em livros do chefe?
Até ouve quem abordasse a questão, lembro de ver isso no jornal, mas de Sara Santos nada, nem uma palavrinha sobre o tema.
Anónimo a 21 de Junho de 2007 às 21:32

Este 1º dia de verão serve para questionar como é pequena esta época. São dois meses com muito boa vontade. Sim. Porque turismo que se veja temos só em Agosto. E no resto do ano? Qual a estratégia de Sara Santos? O que tem sido feito para melhorar a vida dos que cá estão? Fixar jovens, sem ser nos quadros da câmara. Novas áreas de construção. Novos arrumanetos, reabilitação dos já existentes... pouco ou nada!!!!!
Ainda há pouco tempo só me apetecia rir com o discurso da reabilitação de arruamentos municipais. Sara Santos falava numa repavimentação de 11,2 quilómetros de caminho. Aos anos que as estradas andam esquecidas e vem atirar areia para os olhos das pessoas, falando nuns ridículos 11,2 quilómetros. Só pode ser para rir.
É muito pouco. Chega mesmo a ser miserável. Já para não falar que novos arruamentos nem vê-los...
Mas continue com Teatrinhos e chefinhos que está no bom caminho da rua!!!!!!

NOTA FINAL: é curioso que nem um centímetro dos imensos 11,2 quilómetros está localizado na freguesia sede do concelho - as Lajes. Assim se vê a discriminação de que é alvo a Junta de Freguesia das Lajes. Com Sara Santos o Roberto Silva está queimado! Assim vai a DEMOCRACIA Lajense...
Anónimo a 21 de Junho de 2007 às 21:59

Atenção que o sr. roberto silva não se está a fazer de tolo, pois esta a jogar a carta do coitadinho.
Perguntem-lhe voces cara a cara quantas estradas tem ele ao seu dispor e a verba disponível para cada uma delas. Se ele for correcto e honesto revelará o seu jogo do "ah, eu não faço nada pois não me dão dinheiro" através da sua resposta.
Mas é claro que fazer tal coisa sugerida por mim é impensável, tanto alguém perguntar cara-a-cara ao Sr. roberto e este dizer quais as estradas que tem a seu encargo.
Gerações atrás de gerações amorfas é o que dá.

Peço desculpa ao Sr. Roberto por lhe ter revelado o estratagema mas é que eu à muito vi o feiticeiro que está atras da cortina e não gostei de aquilo com que me deparei. Enfim.. o que dizer.. o povo é soberano.
Anónimo a 22 de Junho de 2007 às 22:58

Boa!

chegou o verão e o Blog aqueceu outra vez!
Anónimo a 22 de Junho de 2007 às 09:14

desta dos quilómetros não me tinha lembrado. Vá que ainda tinha o jornal guardado.
mas estou certo que o vencimento de um ano do chefinho (cerca de 30 mil euros????) dava pelo menos para arredondar para os 12 quilómetros. Ou não? A que preço está o quilómetro?
11,2 quilómetros a 22 de Junho de 2007 às 13:09

POIS É...NÃO VALEM DE NADA TODAS ESSAS RECOMENDAÇÕES E ESSES COMENTÁRIOS, PORQUE AINDA EXACERBAM MAIS O CHEFE E A SUA DIGNÍSSIMA ESPOSA. QUANTO AO PRESIDENTE DA JUNTA DE FREGUESIA, ELE JÁ DEVIA SABER COMO FUNCIONA A DEMOCRACIA INTERNA DO PARTIDO QUE ELE ERA APANIGUADO E NUM VOLTE FACE, FEZ O PINO E FOI PARA O OUTRO LADO. AS CARAMBOLAS POR VEZES CAUSAM TRAUMATISMOS E ESSA DEVE TER CAUSADO MUITAS DORES A MUITOS, ESPECIALMENTE À PRESIDENTE QUE NEM SE DIGNA CUMPRIMENTÁ-LO, MAIS QUE NÃO FOSSE E SÓ, POR CORTESIA INSTITUCIONAL. AO QUE HAVÍAMOS DE CHEGAR NESTA TERRA, NESTE PALMO DE LEPRA, COMO DIZIA O SAUDOSO GIL ÁVILA. QUANTO MAIS SE BATER NA «CEGUINHA» MAIS ELA AMUA. VOCÊS OS DO PARTIDO DELA, NÃO A CONHECEM. AQUILO É «SAPATEIRA» REFINADA...
TIRIQUEDA a 22 de Junho de 2007 às 13:54

Se Sara Santos amua ou não é um problema só dela. Agora é bom que ela e o maridinho saibam que isto não é tudo parolos aqui pelas Lajes. O trabalho que ela fez ao nomear o marido para um cargo onde nunca pára não se fazia. Forte vergonha nacional! Lá diz o velho ditado: "não há mal que sempre dure".

Mas onde anda o resultado da inspecção? Quando é que isso é tornado público???
Anónimo a 22 de Junho de 2007 às 16:02

O saudoso Eng. que durante 10 anos andou pelo Convento de São Francisco finalmente aos poucos mostra os sentimentos que nutre por Sara Santos.

"Temos amplos e tão bem apetrechados salões nas nossas comunidade rurais porque não lhes dar uma boa utilização?! Isto também é Cultura. A NOSSA CULTURA"

Podemos ler aqui uma crítica à ideia do Teatro Municipal? Ao Teatro do Chefinho?

De quem tem medo o Eng.? Porque não fala abertamente no tema? Porque passados meses e meses de trapalhadas desta Câmara continua a reinar o silêncio daquele que é o responsável político máximo do PSD?

O que acha o Eng. o caso Chefe?
Anónimo a 22 de Junho de 2007 às 22:50

Penso que a frase mais crítica do artigo de CL no DEVER é esta: ..."porque (deveria estar escrito por que, pois porque é conj.causal e por que significa por que motivo/razão) não recuperamos o nosso teatro tradicional?! porque não a autarquia desafiar as gentes das nossas freguesias a fazê-lo?"

E como não há perguntas inocentes, esta é uma crítica directa à Câmara de SS. Só que CL sabe que apoiou grupos teatrais, como o MUITIERAMÁ, que ele releva e outros. Quanto a isso não tem culpas no cartório. Terá quanto à localização e oportunidade do futuro teatro municipal. Mas isso é um projecto que deverá abortar, dada a impossibilidade financeira da autarquia. Quem vai já no terceiro orçamento rectificativo, é sinal que não soube prever receitas e despesas e tem muitas dividas para pagar, ou não fosse esse o primeiro ponto da agenda da Assembleia municipal de 2ª feira. Espero que a rádio montanha transmita o evento.
lagoa a 23 de Junho de 2007 às 00:01

Caros blogistas, se me permitem, deixem-me dizer que isto de apontar defeitos a pessoas não leva a nada e é uma bola de neve. Uma autêntica caixa de pandora, depois de abrir...
Devemos discutir ideias, projectos para as Lajes. E não dizer mal, apenas para chegar ao poleiro. Até porque quem está hoje na oposição, amanhã estará no poder. A não ser que, na ânsia de lá chegar, se engane nas contas e troque de partido na altura errada.

Posto isto, os meus reparos:

“nomear o marido para um cargo (...) Mas onde anda o resultado da inspecção?”
Esta medida parece-me legal, embora eticamente reprovável. Ou seja, os eleitores julgarão nas próximas eleições.
... turismo que se veja temos só em Agosto. E no resto do ano? Qual a estratégia de Sara Santos
Sara Santos é apenas presidente da câmara, como muitos outros o foram... Não é empresária ligada ao turismo.
SS é uma “sapateira” refinada...
Francamente...
O presidente da junta está queimado...
Será que é a primeira vez que existe um presidente da junta de uma cor e um presidente de câmara de outra?

Hellooowww?

Estas evidências até me fazem parecer um defensor de SS.
Podem ter a certeza que apenas gosto de discutir ideias e não de denegrir pessoas.

E há muitos eleitores assim...


Basalto Negro a 22 de Junho de 2007 às 23:34

Numa ânsia de mal-dizer (?) nem se referiram ao novo empreendimento do Sr. Camilo Costa. Está excelente para a área onde ficou confinado. Mas também queria dizer que Turismo no Pico e nas Lajes já não é só em Agosto. Só pode pensar assim quem não vive cá. Os Turistas andam por aí todo o ano, claro que muitos mais a partir de Abril, felizmente. Mais uma vez, apelamos ao pensamento positivo. Deixem a politiquice para as campanhas eleitorais. esperemos que a Sara passe a cumprimentar o Roberto e que o Cristão do Asfalto passe a cumprimentar o Porto e assim por diante. Não deverá ser este o caminho da sã convivência? Penso que sim...
Anónimo a 23 de Junho de 2007 às 14:22

Há um posto do http://lepratecoma.blogspot.com, a anunciar a abertura da residencial Bela Vista do Camilo Costa, de despoletou uma série interessante de comentários muito positivos e laudatórios.
seria interessante que este anónimo fosse lá lê-los. É que estes blogs trabalham em rede.
lajense a 23 de Junho de 2007 às 16:15

queria dizer: que depoletou...
lajense a 23 de Junho de 2007 às 16:16

Será que é desta?
...que despoletou...
lajense a 23 de Junho de 2007 às 16:19

O problema é que há quem pense que quem critica se refere a Sara Santos. Eu prefiro falar da Presidente da Câmara, que por acaso neste momento é ocupado por Sara Santos.
Confudir as coisas revela pouca amplitude de espírito.
Anónimo a 24 de Junho de 2007 às 00:43

Meu caro Basalto Negro:

De uma vez por todas devemos deixar de ter medos que se fale abertamente naquilo que achamos estar mal. E isto do chefe nunca foi explicado. Ainda há muito para apurar.
Falar e criticar não tem necessariamente de querer dizer ir ocupar o lugar de Presidente da Câmara. Nem todos ambicionam uma vida na política. Como cidadão tenho o direito de exprimir a minha opinião sobre o que acredito ser uma vergonha descarada. A nomeação do próprio marido para um cargo público e na sua directa dependência não é mera questão ética, nem pode ser assunto abafado nas paredes do convento.
Além disso, não é assunto para deixar à vontade dos eleitores. Ou não tem bem presente o caso de Felgueiras, Gondomar... etc, etc. Todos eles com maiorias arrebatadoras. Acredita mesmo que a Democracia é isto?
Anónimo a 24 de Junho de 2007 às 00:02

Bem, estava a comparar com o caso Clinton em 1992, quando Bill convidou Hillary para um cargo governamental " Task Force on National Health Care Reform", processo que me parece idêntico.
Claro que foi nos Estados Unidos e não em Portugal. No entanto, embora não sendo jurista, penso que a existir alguma ilegalidade, esta não será assim tão escandalosa ... C'est l'amour
O caso Felgueiras envolve pagamentos duvidosos aplicados no financiamento de partidos, mas percebo a comparação
Basalto Negro a 24 de Junho de 2007 às 02:28

Ainda bem que o Senhor Basalto Negro percebeu aquilo que eu quis dizer. É que nunca esteve em causa a cidadã Sara Santos. Tanto eu, como todos aqueles que criticam o caso Chefe, acredito verdadeiramente que se referem à actuação daquele que é neste momento titular do cargo de Presidente da Câmara. É isso que deve merecer reparo.
Também não sou jurista, mas não acredito que sejam necessários conhecimentos especializados para perceber que dar uma cargo a um marido que ainda por cima vive ora nas Lajes, ora no continente.... não pode deixar de roçar a ilegalidade.
Daí a minha pergunta: para quando o resultado da inspecção administrativa que foi anunciada neste mesmo blog?
Por fim, um desabafo: mal estaremos nós quando os resultados eleitorais servirem para camuflar e legitimar actuações de duvidosa legalidade.
Ditadura da maioria: não, obrigado!
Anónimo a 24 de Junho de 2007 às 17:06

Não haverá algum jurista ligado à oposição (PS, CDS, CDU) ou à Câmara que opine sobre este caso?
Mesmo antes de a inspecção publicar os resultados, pois pode haver recurso aqui, recurso acolá e o processo arrasta-se.
Quanto a mim era importante resolver o assunto e depois seguir em frente.
Que fazem esses boys, assessores, advogados e juristas das secretarias, parlamentos, comissões???
Basalto Negro a 24 de Junho de 2007 às 17:47

Se bem recordo todo este caso começou pela mão de um jurista. Foi num artigo de opinião do deputado municipal Hernâni Bettencourt.
Apesar de ainda bastante jovem soube trazer a questão a público e deu a cara por uma situação de que todos falavam, mas que ninguem fazia nada.
Agora há que aguardar e esperar que as instituições competentes actuem. Parece-me ser o mais prudente. A justiça pode tardar, mas chega.
Anónimo a 24 de Junho de 2007 às 17:56

Mas, eu referia-me a um qualquer boy, anónimo, que tivesse um tacho dado por qualquer partido e não ao Dr Hernâni, em particular, pessoa que foi correcta neste processo e pela qual tenho admiração.
Basalto Negro a 24 de Junho de 2007 às 21:46

Voltamos a estar de acordo. Apesar de longe procuro sempre acompanhar a política Lajense. Seja pelo nosso DEVER, seja pelos muitos BLOGS entretanto aparecidos e alguns já desaparecidos.
Desde o início que sou da opinião que o Hernâni fez aquilo que estava correcto. Sei que é difícil adoptar uma postura "do contra" quando é muito mais fácil deixar-nos levar pela força da maré.
Força rapaz!
Da história rezam os audazes!
Anónimo a 24 de Junho de 2007 às 22:07

Repare, é que se pode argumentar que tem o perfil certo, que só por ser marido não deve ser discriminado, que embora longe apresenta mais trabalho que os anteriores chefes, que, embora caro é mais produtivo que meia dúzia de funcionários que vagueiam pelos corredores do convento etc, etc...
Daí a minha opinião.
Basalto Negro a 24 de Junho de 2007 às 22:21

Sabe... acho que nunca esteve em causa discriminar o chefe pelo facto de ser marido da Presidente da Câmara. Agora, se não pode ser prejudicado, poderá ser beneficiado?
Pergunto ainda: quantos funcionários da Câmara das Lajes gozam do mesmo regime de favor?
Anónimo a 24 de Junho de 2007 às 23:47

Olhe que isso de regime de favor parece-me muito vago.
Uns poderão ser amigos, outros afilhados, outros importantes para conquistar votos e ganhar certas freguesias, independentemente da sua competência técnica. Esta discussão está a levar-nos a terrenos muito pantanosos...
Quero apenas sublinhar que todos os funcionários, uma vez admitidos, não podem passar a disponíveis, por dá cá aquela palha. Nisto sou peremptório.
Basalto Negro a 25 de Junho de 2007 às 00:15

quando disse "regime de favor" quis dizer um "regime de excepção", um regime mais favorável quando comparado com a maioria dos funcionários da Câmara. É que por mais que me esforçe não consigo apontar nenhum outro funcionário que receba cerca de 2 mil euros por mês, cumule o cargo ocupado na Câmara com uma qualquer universidade do continente, não resida a tempo inteiro no local de trabalho, etc., etc.... se tudo isto é normal então não me resta senão calar-me.
Anónimo a 25 de Junho de 2007 às 18:01

Estamos de acordo. Eu quis apenas sublinhar que estar num emprego, seja ele qual for, só de "corpo presente" é também um regime de favor.
Não quero, contudo, desviar o tema da conversa nem branquiar nenhuma situação, sobre a qual já opinei.
Basalto Negro a 25 de Junho de 2007 às 20:29

perdão, branquear
Basalto Negro a 25 de Junho de 2007 às 20:31

Junho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
16

17
18
19
20
22

25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar
 
blogs SAPO