Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

15
Ago 07

1.A Semana dos Baleeiros está prestes a começar. Amanhã, tem início o novenário na Matriz. Tradicionalmente, o novenário terminava no sábado da festa. Este ano, nesse dia, véspera da Festa, não há qualquer celebração religiosa ou litúrgica. Nem novena, nem missa vespertina, nem comemorativa da Sagração da Matriz das Lajes, NADA! Só as orações individuais dos devotos de Nossa Senhora de Lurdes. Antigamente - recordar a história é dar consistência e sentido às celebrações sociais - o Sábado de Lurdes congregada na Igreja de São Francisco e depois na Matriz, muitos forasteiros e residentes, em actos penitenciais e litúrgicos solenes, numa grande fé à Virgem e num convívio entre gente que se não via há muito.

Sábado de Lurdes, sem uma única celebração religiosa, é um erro clamoroso inexplicável. Esperemos que os responsáveis da paróquia revejam esta falha imperdoável que nenhuma pastoral celebrativa pode aprovar.

O Senhor Bispo que, está entre nós, como primeiro Pastor responsável por esta comunidade, certamente não se apercebeu desta grave lacuna, que, não se pode atribuir a outras actividades do programa cívico. A história demonstra que há tempo para tudo, nomeadamente´, para as regatas que atraem à Vila milhares de pessoas. Mas quantos não vão lá e optam por uma digna celebração litúrgica?

2. A Vila começa a ficar iluminada e a Matriz, centro da Festa, também. Não houve possibilidade de lavar com alguns baldes de tinta as torres da Igreja, cuja degradação é bem evidente à distância, antes da reparação que pretendem fazer?

Há situações que mais parecem desmazelo que pobreza. Pobres mas limpinhos, diz o povo. Assim, como querem que ele contribua para as obras se o frontispício do edifício-mãe da Vila se encontra visivelmente abandonado?

Estas críticas andam por aí, na boca de muita gente. E como são de fácil resolução, aguardamos que, quem de direito, as corrija, para bem da Igreja que nesta Terra, primeira da Ilha, teve a sua primeira comunidade.  

 

publicado por sim às 19:06

De facto, a ausência de liturgia no Sábado parece ser a última machadada nas Festas de Lurdes e a sua substituição pela Semana dos Baleeiros. A focalização das festas no espectáculo (que nem é de cá) não acentuará a descaracterização dos baleeiros, ou seja não põe a tónica na futilidade?
A exposição de um templo degradado, sem tinta, aos visitantes terá a ver, também, com esta linha de pensamento?
Se calhar, nada disto esteve na mente dos responsáveis, só que estes factos prestam-se muito a estas interpretações, perfeitamente dispensáveis.
Basalto Negro a 20 de Agosto de 2007 às 19:56

Entendeu o Sr. Manuel Emílio Porto tecer algumas considerações sobre as nossas publicadas no dia 15 de Agosto, considerando-as desajustadas e que não têm razão de ser agora. Diz mesmo que deve ser encontrada na sacristia uma solução para a falta de actos litúrgicos no sábado de lurdes e não num blogue, muito menos anónimo. Lamento o anátema do Senhor MEP aos blogues e aos anonimatos mesmo que veiculem textos judiciosos e correctos como é o caso. Agitar o fantasma do mafarrifo e do dem´+onio para as novas tecnologias, escudando a Igreja e a fé dos crentes na sacristia, faz lembrar o tenpio da inquisição de que MEP é, certamente, muito crítico.
Se as TIC ainda não foram assumidas pela Igreja como meio de comunicação da sua mensagem, terão de sê-lo quanto antes sob pena de estar a perder um meio fácil e precioso de penetração nas mais diversas camadas sociais, nomeadamente na juventude.
Lajense a 22 de Agosto de 2007 às 20:13

Concorde-se ou não com o Maestro Emílio Porto, a verdade é que o seu artigo no "Dever" está assinado.
Seria salutar que quem o acusa de métodos próprios da Inquisição...fizesse o mesmo.
É que é muito difícil debater seja o que for com o anonimato pelo meio... Histórias antigas...

Como diz o José Augusto, o Prof. Emílio Porto focou o assunto, n'O Dever, pelo lado mais correcto e mais actual - aniversário da "dedicação" da Matriz - vindo do tempo do Dr. Rogério. Também dei a minha modesta opinião, no mesmo jornal, num pequeno espaço que me disponibilizam semanalmente. Todos podem dar a sua opinião, "assinando" os seus comentários ou pequenos textos. Julgo que ninguém, na Igreja andar à "caça às bruxas ", ou não será por mero comodismo e falta de transparência?...
Rui Pedro Ávila a 27 de Agosto de 2007 às 15:12

Concordo consigo sr Pedro, todos deviam assinar os artigos, mas com opiniões. Quanto a assinarem com os seus nomes ou com os nomes de família, parece supérfluo. Embora assine sempre com o meu nome: Basalto da Rocha Negra, um seu servidor.
Basalto Negro a 27 de Agosto de 2007 às 22:47

Mas quem acusou o sr MEP de métodos próprios da inquisição? O Sr. JAS leia bem o comentário e veja que só se afirmou : faz lembrar os métodos da inquisição de que MEP é muito crítico.
Quanto ao anonimato, é vulgaríssimo e está consagrado na imprensa e literatura portuguesas, mesmo com pseudónimos: Pessoa ( os heterónomos) , Cunhal e tantos outros utilizaram-nos. São tão dignos como os nomes próprios que até podem ser pseudónimos. Eu assino-me por José de Brum. Não me conhecem? ando por aí, sou um cidadão anónimo como tantos outros desta Vila, que ninguém ouve, nem escuta, nem tem a "razão" dos senhores do poder político, autárquico, religioso, ou da comunicação social. Mas tem as razões do senso comum e essas valem, por vezes muito mais que as outras...
José de Brum a 28 de Agosto de 2007 às 20:09

Isto anda muito calmo, sinal que a festa está a corre bem. Será????
Pico pea a 22 de Agosto de 2007 às 22:57

Para tecer considerações sobre o referido texto, primeiro é preciso lê-lo, sob pena de entrar no “diz que disse”. Quem o disponibiliza?
Creio, no entanto, que não há excesso de discussão, mas sim um grande deficit de participação. Quanto à opinião ser anónima, desde que esta respeite, não seja caluniosa ou transmissora de boatos, não será por aí que o gato vai às filhós...
Penso até que o sr Porto tem uma participação cívica muito acima da média, quer em qualidade quer em quantidade, e que se familiarizasse com as novas tecnologias teria muito que blogar, portanto. Fico à espera.
Anónimo a 24 de Agosto de 2007 às 01:38

Festa, qual festa...
Anónimo a 24 de Agosto de 2007 às 09:02

A questão de ser ou não anónimo parece iverosíeml mas devemos perceber que num meio pequeno como o nosso a coisa não é fácil - sobretudo se dependemos (in)directamente das administrações locais- que, como de sabe- são muito centralizadas na figura dos seus designios eleitos. Enfim, o Salazarismo no seu melhor...

Os Blogs das Lajes andam muito calmos e ninguém ainda teceu considerações sobre a continuação da vergonha que constitui o Chefe de Gabinete Municipal que agora leva os seus interesses a banhos.

Numa sociedade mais aberta não haveriam anónimos; não haveriam comentadores clássicos do regime que nada beliscam mas fundamentalmente não haveriam Chefes à conta do pagode.

Escrita contra a Paisagem. Talvez nas nuvens...

Horta Woman a 24 de Agosto de 2007 às 15:47

Faço tréguas durante a festa. Na próxima semana, esperem para ver a bomba.
Nossa Senhora de Lurdes nos acuda!
Autor do Blog a 24 de Agosto de 2007 às 19:38

Ainda ninguém aqui abordou o Sr. Comendador das BATATAS ,que uza e abusa de ser comendador e as autoridades também pactuam com isso,sabendo ou pelo deveriam saber que este Sr. de comendador nada tém a não ser o seu dinheiro,arrogancia,prepotencia ETC:ETC......
Se disserem ao contrário é ir ao site das comendas e solicitar o refrido nome para quem o sabe e verá
chiquinho a 27 de Agosto de 2007 às 11:52

Realmente ele tem uma referencia, mas em Portugal não é mais do que uma distinção.
Tambrem existem muito boa gente que tem um agraciamento e por isso não são comendadores.
No Pico comendadores são o Sr.Ermelindo,o Emidio Porto, Pe. Idalmiro e José Victorino, além do Eng. Germano domingos.
E por aqui me fico.
lajense longe a 28 de Agosto de 2007 às 00:10

O Chiquinho não sabia se calhar que o deputado Claudio Lopes também o chama de comendador pois as batatas pagaram a ultima campanha eleitoral para a Camara,e talvêz seráo preço para uzar o nome pois sendo o Vareta deputado ~pensam que é verdade.Mas os deputados também mentem e o Vareta não foge á regra.Ou não se lembram quando elel esteva na C.Municipal?
Coisa Grande a 29 de Agosto de 2007 às 14:17

Novo post: Porto de recreio náutico das Lajes.
http://almalajense.blogspot.com
almalajense a 27 de Agosto de 2007 às 22:15

E as tréguas continuam?
Anónimo a 31 de Agosto de 2007 às 15:05

Agosto 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar
 
blogs SAPO