Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

28
Fev 08

Está prestes a chegar a Primavera.

Com ela vêm os nossos visitantes: estrangeiros, nacionais e até os daqui naturais, numa romaria contínua que vai até ao final do Verão.

Era tempo de os agentes económicos e políticos, se sentarem à mesa e delinearem acções concertadas para dar a conhecer o que temos e somos, para receber os visitantes e melhorar a animação turística. Em reuniões, seminários, com a ajuda de gente entendida na matéria, nomeadamente operadores turísticos.

Somos tão poucos e temos tanto para oferecer que importa conjugar vontades, infraestruturas e instituições em programas comuns.

De outro modo, cada um trabalhará no seu "quintal" e as sinergias que se poderiam criar, envolvendo a própria população, são desbaratadas.

Em cada ano que passa temos de ganhar e não de perder espaço e visibilidade na economia dos tempos livres.

Não bastam cartazes, panfletos, desdobráveis e outras formas de publicitação. Há mais, muito mais a fazer e só a nós compete essa tarefa.

publicado por sim às 11:18

... Operadores turísticos!? Não será que os (poucos) que existem apenas querem ver o seu quintal trabalhado?! ...
Que turismo queremos ter, com os preços que se praticam?! Só se for o chamado de "qualidade", mas, esse, tem muitos e bons sítios para onde ir. Ou não tem? Não deveremos nós começar a casa pelos alicerces e não pelo telhado, ou será que aqueles já estão lançados há muito e eu ando distraído? Uma vez que sou um ignorante, na matéria, devia deixar a palavra aos entendidos, mas como não vejo moita de onde saia coelho...
artur xavier a 1 de Março de 2008 às 12:51

O post tem toda a razão de ser e, curiosamente, vai no mesmo sentido das Jornadas de Turismo que irão decorrer em Ponta Delgada nos dias 27 e 28 de Março, promovidas pela Câmara do Comércio.
O lajense está, portanto, a propôr uma reflexão séria, de um tema sério, que poderá representar um segmento importantíssimo da actividade económico desta terra, a seguir à agro-pecuária e à correspondente indústria transformadora. Quanto a esta, valia também a pena, realizar nesta terra uma séria reflexão - isso faz-se com jornadas, congresso, ou com conferências- que podem ser iniciativa da Escola Secundária, que já deu boas provas de capacidade de realizar eventos desta natureza. E já que nem autarquia, bem empresários se mexem, ao menos que a Escola tome a dianteira. Tem o meu apoio e penso que o da comunidade educativa que é TODA A POPULAÇÃO DO CONCELHO, SEM EXCEPÇÃO.
vigia a 5 de Março de 2008 às 18:42

Os comentários do chefinho acerca da futura loja de cultura das Lajes promovida pelo governo, impressos no jornal O Dever de 21/02/2008, são de uma total imbecilidade. Vejam lá: Foi informado da nova loja de cultura promovida pelo governo apenas através dos jornais....Deveria sua excelência ser convocado à sede de governo em S. Miguel para comunicação de tal deliberação? Com viagem e despesas pagas?

Coitadinho do corcodilo!!!
Anónimo a 6 de Março de 2008 às 14:52

O homem até fala como se fosse ele o Pres. da Câmara, o Pres. do Conselho de Administração da Culturpico...o senhor dono do concelho e da sua Exma esposa. Ao que chegámos!!!...
Duas livrarias da Câmara, concorrentes entre si ou talvez não...e está tudo muito bem!
Que pensa a vereadora da cultura? Será que tem algum poder e iniciativa, ou tem de pedir autorização ao Chefe?
Dra Vanda, a quanto obriga um bom vencimento, não é?!...E D. Sara a tudo se sujeita para não regressar ao Banif que já não é BCA.
Enfim...e dizem que a democracia e a legaliudade estão a ser respeitadas...Assim? Não!
boca do caneiro a 6 de Março de 2008 às 21:13

Fevereiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
13
14
16

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar
 
blogs SAPO