Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

22
Jun 08

O Jornal Público, publica hoje um interessante artigo de José Vitor Malheiros sobre o anonimato na internet. O autor, considera que a possibilidade de anonimato é condição de liberdade. Não é por acaso que as democracias defendem o voto secreto.
Paradoxalmente ou não, o anonimato floresceu na Internet, último espaço onde se pode ser outro e explodir em heterónimos nas redes sociais que são os novos espaços de convívio global. O infeliz caso de Megan Meier e o julgamento de Lori Drew arrisca-se a resultar numa redução dessa liberdade. Descobrimos que dar um nome falso ou mentir sobre a idade na Internet pode ser crime.

Este é um tema recorrente neste e noutros blogs, sobretudo quando os leitores julgam que só a verdadeira identidade confere justeza a um comentário ou afirmação.

Daí haver quem não descanse enquanto não encontra os o real nome de anónimos e heterónimos.

É curioso que não se discute a opção de Fernando Pessoa e de outros escritores portugueses e estrangeiros por essa estratégia. Mas condena-se quem recorre ao uso dos pseudónimos (nomes falsos) para poderem afirmar a sua liberdade de expressão.

Nos meios pequenos, onde quase todos conhecem tudo sobre todos, é mais difícil ser-se igual a si próprio e demarcar o seu espaço. O habitual é não manifestar o que se pensa, com receio de fazer inimigos ou de provocar mal-entendidos.

Não questionar, nem criticar e pensar pela cabeça dos outros, dizendo Amen a tudo e a todos gera o desinteresse pela vida colectiva.

As sociedades que favorecem esses comportamentos, estão doentes e não promovem o espírito crítico, nem dinâmicas de desenvolvimento humano e social.

 

Post scriptum:

Face ao número de comentários, pergunto-me se o anonimato ou o pesodónimo merecem assim tanta repulsa, discordância ?! 

É verdade que o texto, citando um artigo publicado no Público, teceu pontos de vista que não agrediram ninguém, como é norma neste blog.

Então porquê tanta discussão sobre as vantagens de dar a cara???

Não será porque é mais "saboroso" discutir pessoas que ideias?

publicado por sim às 20:43

NUNCA JULGUEI QUE, QUANDO COMENTEI ÀS 15,44 DE 23 DE JUNHO O "OBJECTO MEDITANTE " DESTE POST , ASSUMINDO-ME FRONTALMENTE CONTRA O ANONIMATO E, NATURALMENTE, SUJEITANDO-ME À CRÍTICA À MINHA PESSOA E AO MEU NOME, NUNCA JULGUEI, REPITO, ENCONTRAR TANTOS "NÃO ANÓNIMOS" QUE PENSAM COMO EU E QUE, FELIZMENTE COMO BEM TENHO VINDO A VERIFICAR, TAMBÉM COMENTAM DESASSOMBRADAMENTE, OS ASSUNTOS DA VILA DAS LAJES E OUTROS. OS "ANÓNIMOS" ASSUMIDOS CONTINUARÃO, COM TODO O DIREITO QUE LHES ASSISTE, NESTE MUNDO NOVO DA "BLOGOSFERA" MAS, POR UMA QUESTÃO DE ÉTICA E NÃO DE "ALINHAMENTO" SERIA PEDIR MUITO QUE SÓ SE MANIFESTASSEM EM OPINIÕES FRONTAIS, AGUERRIDAS, ATÉ POLITICAMENTE "NÃO CORRECTAS", MAS NUNCA COM ATAQUES PESSOAIS?... SERIA PEDIR ASSIM TANTO?...
RUI PEDRO AVILA a 26 de Junho de 2008 às 00:18

Com o baixo número de comentários, ou mesmo de blogs, focando problemas da nossa terra, penso que o verdadeiro entrave é a mentalidade do “ que é bom para os outros, também é bom para mim” esse sim, o grande mal da nossa comunidade e não o anonimato.
Se há anonimato haverá alguma razão, já o disse variadas vezes.
Uma coisa sei: os lajenses têm um elevado sentido crítico. E estas críticas são de todos os tipos: desde a brincadeira até outras construtivas, de grande interesse para o desenvolvimento e rumo da nossa comunidade. Os blogs tendem a expressar esta oralidade.
Penso também que os blogs das Lajes são mais uma montra para o exterior, uma vez que a informação (ou voto) é exercida por outros meios, nomeadamente a oral no café ou de porta a porta.
O autor deste blog segue uma linha editorial e ele próprio dá o exemplo com o seu anonimato, há aqui alguma coerência. O assunto Cláudio Lopes não entendi, até porque não li o artigo de o DEVER.
Não vou afirmar que nunca fiz comentários anónimos, digo sim que, acima de tudo procurei respeitar todos, incidindo as minhas críticas em posições ou opiniões.
Mas se o que interessa é debater as ideias dos posts, não haverá por aqui uma obsessão pela identidade?
Se fizermos uma analogia com o telejornal, não estaremos nós mais interessados em debater a toillete da jornalista que a veracidade da própria notícia veiculada?
Paulo Pereira a 26 de Junho de 2008 às 00:58

Caros conterrâneos:
Quero expressar-vos o meu apoio incondicional, embora incógnito, contra os anónimos. Sempre assinei as minhas pseudo opiniões com nome.
E digo mais, para haver plena democracia, nas próximas eleições vossemecês reúnam-se todos na filarmónica e vote-se à boa maneira stalinista, de braço no ar.
Porque quem tem medo de expressar a sua opinião, também não merece viver em democracia e muito menos votar.

Patriota d'uns actos a 27 de Junho de 2008 às 01:56

Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
18
19
20
21

23
24
25
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar
 
blogs SAPO