Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

26
Jun 08

Defendo, desde há muito, que as Lajes necessitam de ampliar a sua malha urbana para outras zonas que estão próximas da vila e são a sua expansão natural.

Os terrenos onde foram construídos armazéns e oficinas, ao cimo da Ladeira, no Ramal de Saída da Vila, são espaços adequados para a instalação de novas urbanizações, que poderiam estender-se até à estrada regional em direcção às Terras.

É verdade que são terrenos muito produtivos da reserva agrícola. No entanto, quer acima quer abaixo da estrada regional, a construção de habitações valorizaria muito aquela área e os seus proprietários, cada vez mais cansados das labutas da terra, tirariam mais-valias apreciáveis de campos de cultivo que dão poucos rendimentos.

O próprio Governo Regional, poderia dar o ponta pé de saída, instalando ali habitações sociais e em regime de custos controlados, que são uma forma de fixar os jovens e a população.

Houve até quem chegou a sugerir que a futura Escola, já que tem de sair da Vila, ao menos ficasse mais próximo dela, nos terrenos que acabámos de referir.

Como nada é estático e as circunstâncias aconselham a repensar, permanentemente, as situações e os projectos rumo ao futuro, os cidadãos e os responsáveis devem encarar este assunto com a máxima abertura.

publicado por sim às 01:10

Ai não que não é, por isso foram muitos casais jovens para outros sítios porque aqui nas Lajes sempre lhes dificultaram a vida, se era por causa do ambiente era por causa doutra coisa. Por isso andamos para trás. O município pensa é pela cabeça de outra pessoa e não pela autarca eleita. Não se está mesmo a ver?
Anónimo a 27 de Junho de 2008 às 16:47

Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
18
19
20
21

23
24
25
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pesquisar
 
blogs SAPO