Vila Primeira da Ilha do Pico. Vila baleeira dos Açores. Mar e Terra cruzam-se numa História de 500 anos.

02
Abr 11

Após alguns dias de vento e de chuva, o suficiente para o aeroporto fechar e arredar esta Ilha do arquipélago e do mundo, voltou o bom tempo.

São assim estas ilhas. Mesmo assim, há cada vez mais revistas especializadas a considerar o arquipélago como um destino com grandes potencialidades, beleza e uma natureza limpa.

Por aqui, esperamos que este ano tenhamos mais visitantes.

 

Esperamos... mas será que temos feito o que devemos para atrair mais visitantes?

Ou aguardamos que os turistas venham até nós, sensibilizados apenas pelos prospetos das agencias de viagens e pelas revistas da especialidade?

Esta ilha e o nosso concelho merecem uma promoção cuidada, inteligente e eficaz.

No turismo, como indústria de lazer, a carolice e a boa vontade já não chegam para convencer os potenciais visitantes.

O mercado tem as suas regras e rege-se por critérios publicitários bem conhecidos e caros que surtem efeito quando utilizados em campanhas.

Exige-se de todas as entidades envolvidas: operadores, empresários, organismos públicos e privados e até dos lajenses que apostem, decididamente, nesta actividade, inovando, criando e promovendo actividades relacionadas com a actividade do whale-watching que deve ser muito mais do que uma simples ida ao mar para observar baleias e golfinhos. Só isto é pouco. Muito pouco.

O investimento na recuperação de botes e de lanchas baleeiras não pode nem deve destinar-se APENAS a regatas a remos e à vela ou a campeonatos regionais, inconsequentes.

Os botes e as lanchas podem e devem ser utilizados para passeios com os visitantes, acompanhados de animadores que recordem a história e as estórias da baleação.

O Museu só não chega quando há botes e baleeiros ainda vivos.

Com franqueza! Parece que temos medo de dizer que no Sul do Pico e nesta terra foram arpoadas centenas de baleias, transformadas em óleo e que a caça era feita em botes e lanchas que ainda navegam. Não somos menos ecologistas ou ambientalistas, por isto.

Não tenhamos medo de um passado que nos orgulha e que devemos dar a conhecer, o melhor que saibamos, a quem nos visita. É essa partilha de vivências que pretende quem nos visita e que torna esta Ilha singular na exploração dos mamíferos marinhos.

publicado por sim às 18:29

só a campanha VisitAzores com vôo incluído trouxe aproximadamente 35 dormidas ao Pico, durante a época baixa, não foi um sucesso?! continuem a gastar milhões com estas campanhas...
anonimo a 8 de Abril de 2011 às 17:26

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
pesquisar
 
blogs SAPO